Cidades

Cidades

Os papos de grão-vizir

Os papos de grão-vizir

RUBEN FIGUEIRÓ DE OLIVEIRA

10/02/2010 - 00h00
Continue lendo...

Nada mais atual. Há muito tempo, lá pelas bandas do Oriente Médio, dizia-se que na conversa entre sultões e grandes dignatários, quando um, precavido e com ideias próprias, escutava o outro, também ressabiado, a nenhuma conclusão se chegava... Também nos tempos de hoje, sobretudo do campo da política, assim rotineiramente acontece. Um dos casos típicos dessa conversa estamos assistindo, na presente e extra-legal campanha eleitoral aqui em nosso Estado, entre duas importantes figuras do status governamental: o prefeito da capital e o governador do Estado. O prefeito manifesta-se pela candidatura da senhora Dilma para presidência da República sob alegação fantasiosa do “princípio da gratidão”; o governador, do alto de sua majestade partidária, diz que nada obstante sua credencial para ditar os rumos de seu apoio (de seu partido e sequazes, naturalmente), deseja auscultar primeiro a vontade popular, a quem é grato. Na simbologia da expressão (gratidão) as duas lideranças escondem o que realmente desejam a médio e longo prazo, ou seja, a separação das águas para que cada uma, há muito de coloração diferente, encontrem o leito próprio na bacia hidrográfica, e antropofágica, da política. É na verdade “conversa de grão-vizir”... , ou seja para ganhar tempo! Ouvi de um fanático andrezista que o prefeito Nelson Trad Filho com essa recente manifestação de independência (de apoio a precoce candidatura da sra. Dilma Rousseff) e que se segue a outras anteriores (citou-as, uma a uma), está se revelando num ingrato discípulo, eis que deve sua projeção política à mão poderosa e protetora de André Puccinelli, desde quando este era prefeito. Discordei dessa apaixonada análise e o fiz sob o forte argumento da verdade histórica. Nelson Trad Filho, na senda política, representa a expressão oligárquica de uma ilustre Família, com destacada atuação na vida política de nossa região há mais de cinquenta anos, desde que o idealismo de Alberto Pascualine (o do trabalhismo autêntico) implantouse aqui pela palavra e ação de um jovem advogado, o seu pai, Nelson Trad. Ambos, pai e filho, seriam ainda hoje do PTB não fora o ainda obscuro processo interno de “degola” , que sofreram, liderado pelo então e atual presidente nacional do partido, o ex-deputado Roberto Jefersson, aquele mesmo que também detonou o escândalo nacional dos mensaleiros, nódoa da qual o PT jamais retirará de suas cores. Ademais, André Puccinelli não escolheu por vontade própria o então vereador Trad Filho para sucedê-lo, teve de aceitá-lo por força de sua preferência popular atestada em pesquisas. Habilmente, engoliu-o, e agora pretende iniciar o processo de sua digestão. Haja antiácido... Mesmo que se aceite o argumento estrábico daquele estremado andrezista – o discípulo não pode virar-se contra o criador – o dogma pode ser válido entre filho e pai onde as relações são de umbigo, jamais nas relações da política partidária. Há circunstâncias tais que podem levar a uma irreparável dissenção, quando sobretudo existirem conflitos programáticos ou pragmáticos, válidos portanto, ou de senho egoísta, superioridade ou coronelista. Como exemplo, aqui em nossa seara, os gestos de independência de Marcelo Miranda, Londres Machado, Levi Dias, João Leite Schimidt; para lembrar destes dentre muitos outros que se desfiliaram da liderança de Pedro Pedrossian – é de justiça lembrar que Pedrossian quando eleito pela primeira vez governador (isto em Mato Grosso Uno) foi um extraordinário incentivador pelo ingresso de jovens na política – para criarem vôos próprios e os criaram e aí estão até hoje entre tropeços e sucessos. Para concluir. Tanto o prefeito da capital como o governador do Estado, têm seus rumos há tempos traçados e a conversa atual entre eles não passa de uma retrospectiva de dois autênticos grão-vizires...

Capital

Após bebedeira com amigos, jovem é atingido por tiro enquanto dormia em veículo

Em depoimento, o jovem relatou que os amigos estavam alcoolizados e ele decidiu dormir no veículo, momento em que foi atingido por tiros.

14/07/2024 18h30

Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário/ Depac Cepol

Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário/ Depac Cepol Divulgação/

Continue Lendo...

Um jovem de 20 anos foi socorrido para o hospital na manhã deste domingo (14), após ser atingido por um tiro enquanto dormia dentro de um veículo na região do Bairro Centro-Oeste, na zona sul de Campo Grande.

Conforme o registro da ocorrência, a vítima relatou aos militares que estava bebendo com amigos, decidiu entrar no veículo para ir embora e acabou dormindo.

Ainda durante o interrogatório, o jovem disse que os amigos com quem estavam, estariam alcoolizados. 

Neste momento, dois homens teriam passado na rua e efetuado disparos de arma de fogo e depois fugiram do local. Os tiros acertaram a região lombar da vítima.   

As equipes da Polícia Civil e investigadores da Delegacia de Homicídios estiveram no local. O carro onde a vítima estava passou pela perícia e também foi encaminhado a delegacia. 

De acordo com o depoimento do jovem, ele disse aos policiais que não teria interesse nas investigações. 

Mesmo com a vítima não querendo que o caso seja investigado, o caso foi registrado na  Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitária) do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada) como homicídio na forma tentada.

Casos de homicídios em Campo Grande 

Conforme informações da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), foram 61 casos de homicídios em Campo Grande. Em Mato Grosso do Sul, foram 180 registros nesses primeiros sete meses. 
 

 

Assine o Correio do Estado

CLIMA

Sul do estado ainda terá baixas temperaturas durante a semana

Ponta Porã pode registrar mínima de 7º graus nesta segunda-feira (15)

14/07/2024 18h30

Temperatura só deve subir na próxima quarta-feira (17)

Temperatura só deve subir na próxima quarta-feira (17) Arquivo Correio do Estado

Continue Lendo...

O cenário de frio e baixas temperaturas deve permanecer em algumas cidades de Mato Grosso do Sul nesta semana, conforme informações divulgadas pelo Inmet (Instituto Nacional de Meterologia). Na fronteira com o Paraguai, a cidade de Ponta Porã pode registrar mínima de 7ºC.

Em Dourados, também no sul do Estado, está prevista temperatura mínima de 8ºC nesta segunda-feira (15). Os termômetros em Mato Grosso do Sul apresentaram queda nos últimos dias, devido a uma massa de ar polar que foi trazida pela passagem de uma frente fria.

O frio também não poupou outros municípios do estado neste fim de semana. Em Amambai, os moradores enfrentaram 8°C, enquanto em Laguna Carapã, a mínima foi de 9,8°C. Outras cidades como Sete Quedas também seguiu essa tendência, registrando 6,3°C.

Em Naviraí, Nova Andradina e Ivinhema a semana deve continuar registrando baixas temperaturas. Ambas as cidades terão mínima de 10ºC e a máxima não passa dos 22ºC. 

Na Capital 

De acordo com o portal Clima Tempo, a previsão do tempo para Campo Grande indica baixas temperaturas nos próximos dias. A mínima nesta segunda-feira (15), será de 10ºC pela manhã e ao longo do dia, 22ºC. 

A previsão aponta Sol com algumas nuvens e com pouca probabilidade de chuva. O Sol deve aparecer durante o dia, sem nuvens no céu e com aumento de nebulosidade à noite.

Neste domingo (14), a Capital de Mato Grosso do Sul registrou mínima de 9ºC, com sensação térmica de 5ºC. Conforme o Inmet, o tempo só deve manifestar temperaturas mais altas a partir de quarta-feira (17).  


Assine o Correio do Estado 

 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).