Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RESSOCIALIZAÇÃO

Pães produzidos por detentos alimentam pacientes de hospital

Produção também é doada para instituição social de Dourados
18/07/2020 16:11 - Da Redação


Todos os dias, 400 pães produzidos por detentos da Penitenciária Estadual de Dourados (PED) são destinados para os funcionários e pacientes do Hospital da Vida e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade.

Criada em maio de 2018, a iniciativa é fruto de convênio entre o governo de Mato Grosso do Sul e a Fundação de Serviços de Saúde de Dourados (Funsaud). A parceria foi renovada por mais um ano nesta semana.

Inaugurada há cerca de sete anos, a oficina de panificação da PED também ajuda a reforçar a refeição dos cerca de 2.500 internos do local.  

Além disso, a produção abastece as duas unidades prisionais de regime semiaberto de Dourados e o Patronato Penitenciário. Parte é doada ao Lar Ebenezer Dourados, onde são acolhidos menores do sexo masculino.

A padaria funciona diariamente durante 16 horas, com 11 detentos trabalhando, divididos em dois grupos que se revezam. Todo trabalho segue criteriosos cuidados de higiene.

Parte dos equipamentos do local foi adquirida por meio do projeto “Padaria Escola”, desenvolvido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), em convênio com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O restante foi comprado com recursos próprios do presídio.

De acordo com o direção da PED, os custodiados que trabalham ali recebem 3/4 do salário mínimo mensais, e a cada três dias de serviços prestados pelos detentos garantem a eles desconto de um dia no total da pena imposta.

 
 

HORTA

Já na Unidade Educacional de Internação (Unei) Dom Bosco, em Campo Grande, 50 adolescentes cultivam uma horta comunitária.

“Nós fizemos doações para a Pastoral da Criança, enviamos os donativos para a Comunidade Irmãos de Assis. Fizemos também doações para as próprias famílias dos internos que estão em um momento difícil e isto acaba sendo uma boa ajuda”, disse o diretor Maurício César.

O diretor explica que os 50 internos participam das atividades, mas divididos em grupos, para ajudar na manutenção e no cultivo das hortaliças.  

“Eles ajudam limpar o terreno, a adubar e a cuidar dos alimentos. Nós temos aqui, 10 tipos de hortaliças diferentes: coentro, salsa, couve-flor, tomate. Tudo plantado sem agrotóxico”, conta.

Atualmente, a horta é custeada por doações dos servidores locais, mas a unidade está aberta para receber doações de mudas. Quem se interessar em colaborar pode ligar em horário comercial no telefone (67) 3309-8300.

 
 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!