Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM

País registra 1.311 mortes por covid-19, total chega a 84.082

País registrou 59.961 novos casos de coronavírus em 24h
23/07/2020 20:00 - Estadão Conteúdo


O Brasil registrou 1.311 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos pela doença a 84 082, segundo dados divulgados há pouco pelo Ministério da Saúde

De ontem para hoje, o País registrou 59.961 novos casos de covid-19, elevando o número de infectados a 2.287.475. Esse é o segundo maior número de confirmações da doença em 24 horas, atrás apenas do registrado ontem, 22, quando o País teve recorde de casos, 67.860. Desse total, 1.570.237 (68,6%) correspondem aos recuperados e 633.156 (27,7%) ainda em acompanhamento.

O dado do Ministério não significa que todas as mortes ocorreram nas últimas 24 horas. Os casos, no entanto, estavam em investigação e foram confirmados neste período. Há ainda cerca de 3.786 mortes em investigação.

O Estado de São Paulo contabiliza 452.007 casos do novo coronavírus e 20.894 mortes. O Ceará tem 156.242 infectados pela doença e 7.374 óbitos. O Rio de Janeiro atingiu nesta quinta-feira o número de 151.549 casos confirmados de covid-19 e 12.535 mortes.

SÃO PAULO

São Paulo registrou mais 12.561 casos de infecção pelo coronavírus e 362 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo informou na tarde desta quinta-feira (23) o Centro de Contingência do Coronavírus do Estado. O total infectados pela doença foi para 452.007 pessoas e os óbitos foram para 20.894 casos.

A Secretaria Estadual de Saúde paulista apresentou os dados em uma entrevista coletiva em que voltou a associar o número de novos casos (o terceiro maior desde o início da pandemia) a uma instabilidade no sistema do Sistema Único de Saúde (SUS) que contabiliza os números, ocorrida nesta semana. 

Essa falha, segundo o epidemiologista Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência, fez com o sistema não recebesse informações inseridas por prefeituras e outros órgãos, de forma que os números ficaram represados e só estão aparecendo agora.

"A avaliação do centro de contingência é de que a situação apresenta uma melhora global no Estado. É discreta, mas é uma melhora", disse o epidemiologista. Ele disse que a instabilidade no sistema durou cinco dias, e que ainda amanhã (24) os números ainda podem vir artificialmente altos.

"Esses dados existem, mas foram contabilizados de forma extemporânea, e por isso sobrecarregaram as estatísticas", disse o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn.

O secretário executivo do Centro, João Gabbardo, preferiu avaliar a soma dos dados da semana, comparando-os com os números da semana passada, para dizer que, considerando os números baixos do começo da semana e os picos de casos altos registrados ontem (22) e hoje, os dados desta semana estão menores do que os da semana passada, o que seria uma sinalização de melhora da epidemia no Estado.

"A capital tem um comportamento diferente do interior, o que está totalmente previsto nosso plano", disse Gabbardo. "Houve uma redução nesta semana, comparado com a semana anterior, de 26% no número de casos confirmados. E o número de óbitos na capital reduziu em torno de 18%", disse Gabbardo.

"Já no interior, houve um acréscimo efetivo de 3%" entre os dados desta semana com a semana passada.

Nesta sexta (24), o Centro de Contingência irá anunciar novas mudanças nas configurações do Plano São Paulo, que vem liberando as atividades econômicas do Estado seguindo regras específicas para cada atividade econômica e uma classificação de cada região administrativa do Estado, de acordo com a situação da epidemia em cada área. 

Também haverá uma revisão da classificação das cidades, que poderão regredir ou avançar nas liberações (na semana passada, só podiam se manter na mesma classificação que estavam ou regredir para uma fase anterior).
 

 
 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.