Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM

País registra mais 1.223 mortes por covid-19, total vai a 67.964

De ontem para hoje, foram confirmados 44.571 novos casos da covid-19
08/07/2020 19:00 - Estadão Conteúdo


O Brasil registrou mais 1.223 novas mortes por covid-19, segundo boletim atualizado divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, 8. Com isso, chega a 67.964 o total de óbitos pela doença no País.

De ontem para hoje, foram confirmados 44.571 novos casos da covid-19, elevando o número de infectados no País para 1.713.160 Desse total, 1.020.901 (59,6%) são considerados recuperados e 624.295 (36,4%) em acompanhamento.

O dado do ministério não significa que todas as mortes ocorreram nas últimas 24h. Os casos, no entanto, estavam em investigação e foram confirmados neste período. Há ainda cerca de 4.105 mortes em avaliação.

São Paulo é o Estado brasileiro com maior número de casos confirmados da doença, 341.365, e óbitos, 16.788. O Ceará ocupa a segunda posição, com 128.471 casos de covid-19 e 6.665 mortes. Em seguida, o Rio de Janeiro tem 126.329 infectados e 10.970 mortes.

RELATÓRIO

O Ministério da Saúde atualizou hoje (8) o relatório sobre a evolução da pandemia do novo coronavírus no país. De acordo com a pasta, a evolução mostrou uma subida na curva de casos confirmados e uma estabilização na curva de mortes em decorrência da covid-19.

Se consideradas as semanas epidemiológicas, o total de óbitos no Brasil passou de 7.094 na penúltima semana (26ª) para 7.195 na última semana (27ª). “Os números têm se mostrado relativamente constantes, com variações para cima ou para baixo”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo de Medeiros.

No mesmo período, o número de pessoas infectadas subiu de 246.088 para 263.377. O aumento de uma semana para a outra foi de 7%. A variação foi menor do que a registrada (13%) da 25ª para a 26ª semana epidemiológica e também da variação (22%) da 24ª para a 25ª.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.