Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOAS PRÁTICAS

Pandemia faz aumentar solidariedade em momento que muitos pensam em lucrar

Iniciativas para prevenir disseminação do vírus começaram a surgir
19/03/2020 17:33 - Fábio Oruê, Súzan Benites


Em meio aos casos de coronavírus aumentando em todo o Brasil e também a procura por mantimentos e produtos para higiene, a solidariedade da população também começa a sobressair  - e precisa contagiar tanto quanto ao vírus. Doação de álcool em gel e pessoas querendo auxiliar os grupos de risco da Covid-19 estão se espalhando nas redes sociais na tentativa de reduzir a pandemia. 

Jovem Daniely Herebia Gonçalves, de 32 anos, começou uma corrente do bem anunciando, nas suas redes sociais, que mora na região do bairro Coophatrabalho e que está disposta a fazer compras, tanto em supermercados quanto em farmácias, para pessoas acima de 60 anos, uma vez por semana, sem custos com o intuito de ajudá-los a evitar aglomerações. 

“No meu caso, foi porque faço parte da Liga do Bem, e o nosso trabalho também teve que parar. Meu pai tem diabetes e minha mãe é hipertensa, estão no grupo  de risco, acima dos 64 anos e com doenças crônicas. Entre eu que não estou e eles que correm o risco, melhor eu ir, protejo meus pais e aproveito a situação para fazer para aqueles que não tem ninguém que faça . E na torcida para que isso passe logo e a gente consiga viver normalmente de novo”, contou Daniely ao Correio do Estado.

A iniciativa dela contagiou outras pessoas e alguns amigos já replicam a ideia de Daniely. A amiga da jovem, Claudilene Villarruel, 28 anos, replicou a ideia na região do bairro Coophasul. “Achei super bacana a ideia dela e como tenho vizinhos idosos, resolvi ajudar também”, disse.

 
 

No Bairro Santa Fé, a Euclides Conveniência decidiu doar pequenas porções de álcool em gel, em frascos chamados de Tubetes. “Nós tínhamos três galões de álcool em gel aqui e com o vírus chegando aqui, nós decidimos distribuir para quem quisesse pegar; deu uns 300 tubetes e foi tudo em quatro dias”, disse a representante do local, Daiane Von Uppert. 

Ela conta até que procuraram mais álcool em gel para comprar, mas não encontraram. “Está difícil de achar e tem muitos lugares que estão superfaturando e vendendo com preço muito alto. Por isso também a gente teve a iniciativa; quem quisesse era entrar e pegar; não cobramos nada; Teve gente que ligou lá do Universitário para saber se ainda tinha”, disse. 

“Teve um reflexo muito positivo no sentido que conseguimos até disseminar a ideia”, finalizou Daiane citando o parceiro de fornecimento Eron Cestaro, que levou a iniciativa para o Bairro Rita Vieira, na casa de carne Sabor do Campo, que ainda tem algumas unidade para doação. 

Eron disse que quer continuar com o movimento durante a pandemia. “Já até recebi doações em dinheiro de amigos para poder comprar mais frascos quando esses acabarem; tem mais álcool para reabastecer também”, contou ele. 

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.