Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VALORES

Pandemia já custou R$ 11 milhões aos cofres estaduais

Site divulga gastos de compras emergenciais para dar transparência ao uso de verbas públicas
14/04/2020 09:50 - Ricardo Campos Jr


 

O combate à Covid-19 já custou R$ 11.190.289,90 aos cofres sul-mato-grossenses. A informação consta no sistema disponibilizado pelo poder público para dar transparência às aquisições feitas em caráter emergencial. 

Metade desse montante foi destinado à compra de cestas básicas para serem distribuídas à população carente. Os produtos custaram R$ 5.820.000 no total. 

O Estado investiu ainda R$ 3.512.175 na compra de ventiladores pulmonares e locação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para se antecipar à alta de demanda de alta complexidade. 

No último dia 31 de março, chegaram os primeiros 25 aparelhos, dos quais dez foram encaminhados ao Hospital Regional para montagem de leitos semi-intensivos para ativar o sétimo andar do prédio e os demais seriam distribuídos a outras unidades.

Outros R$ 858.516 foram gastos na compra de kits para testar casos suspeitos da doença. O sistema do Governo não informa as quantidades.

Também foram investidos R$ 599.800 na compra de equipamentos de proteção, como máscaras, luvas, capotes. 

A divulgação dos valores das compras emergenciais atende à Lei Federal, de número 13.979, de 6 de fevereiro. o objetivo do portal é apresentar a transparência da gestão do recurso público, considerando ainda a urgência necessária das compras diante da pandemia do coronavírus no Estado e no País.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!