Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

DADOS

MS soma 22 pontos e sobe para 5º lugar em ranking de transparência na pandemia

Entidade avaliou site sobre compras emergenciais e demais páginas do governo
07/09/2020 08:39 - Adriel Mattos


Mato Grosso do Sul somou 22 pontos e subiu para a 5ª colocação no Ranking da Transparência no Combate à Covid-19, da organização não-governamental (ONG) Transparência Internacional.

A entidade avalia portais de transparência de todo o país e adotou critérios mais rigorosos, anunciando inclusive que passará a acompanhar também doações, programas de estímulo econômico e medidas de proteção social.

São analisados os portais especiais de transparência na pandemia, o site do governo local, o Portal da Transparência estadual, o site dedicado à pandemia, Portal de Compras Emergenciais e as redes sociais.

 
 

O Estado conta com uma página especial para compras e outras com informações sobre a Covid-19. O controlador-geral do Estado, Carlos Girão, destacou que Mato Grosso do Sul está a um ponto da nota máxima, que é 100.

“Em primeiro lugar creio que é o reconhecimento a todo o esforço que o Estado teve para atender os requisitos considerados ideais pela Transparência Internacional na promoção da transparência com os gastos dos recursos destinados ao combate à Covid-19”, afirmou.

Girão evidencia os critérios adotados pela instituição. “A metodologia é dinâmica, isso quer dizer que a cada avaliação são analisados novos requisitos”, frisou.

Para a secretária de estado de Administração e Desburocratização, Ana Carolina Nardes, o trabalho divulgado no Portal de Compras foi melhorando e otimizando a divulgação dos dados.  

“O avanço de Mato Grosso do Sul no levantamento demonstra uma relação entre Governo e sociedade mais transparente e participativa. É também, sinônimo de muito trabalho das equipes envolvidas”, argumentou.

No levantamento anterior, realizado no mês de julho, o Estado somou 77 pontos, ficando na 22ª posição.

 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!