Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ANGELUS

“Vamos responder com a pandemia da oração, da compaixão e da ternura”, diz Papa sobre o combate ao novo coronavírus

Papa Francisco conclamou toda a população a se unir para rezar o Pai Nosso na próxima quarta-feira
22/03/2020 10:33 - Eduardo Miranda


Na oração do Angelus deste domingo (22), o Papa Francisco disse aos fiéis católicos e a toda a população mundial que a pandemia do novo coronavírus será respondida com a “pandemia da oração”. “Nós queremos responder à pandemia do novo coronavírus com a pandemia da oração, da compaixão e da ternura. Vamos permanecer unidos!”, conclamou o Papa.  

O tema do Angelus deste domingo foi “Luz sobre às trevas”. “Cada um de nós é chamado a colher a luz divina a fim de manifestá-la em nossa própria vida”, lembrou o líder da Igreja Católica e chefe do Estado do Vaticano.  

Também durante o Angelus, o Papa Francisco propôs que todos os cristãos se unam para rezar a oração do Pai Nosso na próxima quarta-feira (25), ao meio dia, como resposta à pandemia do vírus.  

Na próxima sexta-feira (27), o líder da Igreja Católica promoverá, de forma extraordinária, também por causa da epidemia, a benção Urbi et Orbi (à cidade e ao mundo), às 18h de Roma (13hMS e 14h Brasília).  A benção só é proferida na Páscoa e no Natal.  

“Vamos demonstrar nossa proximidade aos médicos, agentes de saúde, enfermeiros, enfermeiras e voluntários”, disse o Papa, convidando a população a ser solidária aos que estão na linha de frente no combate à epidemia do novo coronavírus. “Nossa proximidade às autoridades que devem tomar medidas duras, mas para o nosso bem. Nossa proximidade aos policiais, aos soldados que estão nas ruas e que procuram manter a ordem”, finalizou Francisco. 

 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!