Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MEDIDAS

Para agilizar compras emergenciais para combate ao Covid-19, MS cria grupo de trabalho

A equipe irá agilizar os processos de compras, mantendo a segurança jurídica necessária
27/03/2020 15:57 - Natalia Yahn


 

Grupo de trabalho formado por profissionais de diversas áreas administrativas da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e da Fundação de Serviços de Saúde foi criado para apoio às compras, em caráter emergencial de insumos que serão utilizados no combate à propagação do coronavírus em Mato Grosso do Sul.

A equipe irá agilizar os processos de compras, mantendo a segurança jurídica necessária, tanto no que diz respeito à aquisição direta de bens como à contratação direta de obras e de serviços imprescindíveis ao desenvolvimento das ações de combate a pandemia. A criação do grupo foi anunciada em resolução publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (27).

O titular da SES, Geraldo Resende, afirma que a alternativa de criar o grupo proporcionará celeridade na aquisição de materiais. “Estamos trabalhando contra o tempo, por isso a concentração de esforços é necessária, essa equipe irá focar nos processos e isso vai ajudar e muito seja na aquisição de insumos, seja na contratação de serviços”.

Para a coordenadora do setor de gestão de compras da SES, Raquel Pereira Martins, o grupo facilitará o gerenciamento das demandas de compras e assim garantir o desenvolvimento de ações de combate. “Os processos que geralmente duram 15 dias, acabam caindo para apenas 2 dias. Somos cinco colaboradores de diversas áreas de formação administrativas, aqui chega a demanda do material que precisa ser adquirido e nós agilizamos a documentação”.   

O grupo foi criado diante da necessidade da dispensa do processo regular de licitação, considerada a urgência da situação, é formado por representantes das áreas de compras vinculados à Secretaria de Estado de Saúde e à Fundação de Serviços de Saúde. (Com assessoria)

 
VEJA TAMBÉM

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!