Cidades

avenida paulista

Parada do Orgulho GLBT terá reforço policial este ano

Parada do Orgulho GLBT terá reforço policial este ano

agência brasil

07/06/2011 - 00h00
Continue lendo...

A segurança da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo, que ocorre na Avenida Paulista, no próximo dia 26, será reforçada. Segundo o tenente-coronel da Polícia Militar Renato Cerqueira Campos, do Comando de Policiamento da Região Central de São Paulo, o efetivo policial deste ano contará com 1,5 mil policiais.

Para ajudar na segurança, Cerqueira alerta as pessoas que notarem alguma atitude suspeita para fazerem a denúncia no telefone 190. “Não precisa esperar acontecer. Se observar uma pessoa em atitude suspeita, que possa implicar algum risco, acione o 190”, alertou. Apesar do aumento do contingente policial, Cerqueira ressaltou que é importante que os participantes do evento evitem andar sozinhos em lugares ermos e portando objetos de valor.

A edição deste ano tem previstas duas novidades: o encerramento com um show, ainda sem local e atração definidos, e uma grande valsa. “Este ano, comemoramos os 15 anos da Parada de São Paulo, uma debutante. A própria palavra debutante significa transformação. Vamos abrir oficialmente a parada convidando todas as pessoas presentes na Avenida Paulista para dançar uma valsa”, disse o presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT), em entrevista coletiva hoje (6).

Segundo o diretor executivo da APOGLBT, André Guimarães, a Parada do Orgulho GLBT deste ano deve ter o custo de R$ 2 milhões. “Este é o valor mínimo, sem se levar em consideração os custos fixos da entidade”, disse Guimarães. A expectativa, de acordo com ele, é que o evento gere cerca de R$ 280 milhões, devido o gasto dos mais de 400 mil turistas que devem ser atraídos a São Paulo por causa do evento. A estimativa é que 3,2 milhões de pessoas deverão ir à Avenida Paulista, para participar da parada.

cartão vermelho

Repasses da CBF a MS estão entre os maiores do País

Em 2021, ano que entrou na mira do Gaeco, o repasse mensal foi de R$ 180 mil. Só quatro federações foram contempladas com valores mais altos

21/05/2024 13h12

Promotores e policiais passaram horas na sede da Federação de Futebol de MS em busca de provas da corrupção

Promotores e policiais passaram horas na sede da Federação de Futebol de MS em busca de provas da corrupção Marcelo Victor

Continue Lendo...

Embora os balanços anuais não divulguem os repasses da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) é uma das “queridinhas” da entidade máxima do futebol brasileiro. Em 2021, por exemplo, a entidade comandada por Francisco Cezário recebeu a “bagatela” de R$ 180 mil mensais, ficando atrás apenas de outras quatro federações. 

No total, naquele ano, o futebol de MS, o terceiro pior no ranking das federações, foi contemplado por R$ 2,15 milhões da CBF, sendo que a maior parte dos estados recebeu “apenas” 1,2 milhão. Somente os estados do Pará, Paraná, Goiás e Santa Cataria receberam um pouco mais. O Paraná recebeu R$ 3 milhões. 

E, além desta mesada, Francisco Cezário, que está no oitavo mandato à frente da Federação, recebeu ainda cerca de R$ 1,5 milhão de outras fontes. A principal delas foi de repasses estaduais. Somente para bancar o campeonato estadual da Série A foram em torno de R$ 820 mil. 

Investigadores apreenderam cerca de R$ 800 mil na casa de Francisco Cezário

Parte deste dinheiro, aponta agora a investigação do Ministério Público por meio da Operação Cartão Vermelho, ia para os bolsos do presidente da Federação. Na casa dele foram encontrados mais de R$ 800 mil em espécie nesta terça-feira (21). 

Somente entre setembro de 2018 e fevereiro de 2023, segundo o Gaeco, os desvios superam os R$ 6 milhões. Neste período ocorreram mais de 1,2 mil saques de até cinco mil reais para tentar esconder a suposta corrupção. 

E por conta disso, a Justiça emitiu sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão. Pelo menos cinco pessoas foram presas na manhã desta terça-feira, entre elas Francisco Cezário.

No balanço anual, a Federação de MS divulga os repasses feitos pelo Governo do Estado, mas em nenhum deles aparecem os repasses da CBF, que em 2021 representaram 60% do faturamento da Federação. 

O valor do repasse de R$ 2,15 milhões em 2021 foi divulgado em reportagem do Jornal Folha de São Paulo em maio de 2022. A reportagem mostra que a mesada da CBF é mais de 50% da receita de dez federações e que todas elas votaram a favor do atual presidente da CBF.

As federações são as principais eleitoras para a presidência da CBF, com peso 3 na votação (clubes da Série A têm voto com peso 2 e os da B, peso 1). Em março de 2022,  Ednaldo Rorigues, ex-chefe da Federação da Bahia, foi eleito presidente da CBF, cargo que ocupará até 2026

Em 2021, por conta dos generosos repasses, a FFMS fechou com saldo positivo de R$ 52,6 mil. Nos dois anos seguintes, o balanço mostra déficit. Em 2022 o prejuízo foi de R$ 492 mil e no ano passado, de R$ 218 mil. 

VEJA O VÍDEO

Padre de MS atribui tragédias no RS à 'proliferação de centros de macumba'

Após associar tragédias no Rio Grande do Sul "porque Estado é satanista", católico da Paróquia de Nova Andradina enfrenta denúncia de deputado do Rio Grande do Sul junto ao Ministério Público Federal

21/05/2024 12h31

Fala aconteceu no Santuário Diocesano Imaculado Coração de Maria, a Diocese de Naviraí, ainda no dia 08 deste mês. 

Fala aconteceu no Santuário Diocesano Imaculado Coração de Maria, a Diocese de Naviraí, ainda no dia 08 deste mês.  Reprodução/YouTube Santuário Nova Andradina

Continue Lendo...

Padre católico da Paróquia São Vicente de Paulo, em Nova Andradina, Paulo Santos Silva se tornou alvo de representação junto ao Ministério Público Federal, após fala em que associa tragédias do Rio Grande do Sul ao fato de que, segundo ele, o Estado "é santanista" e "abraçou satanismo e bruxaria".

A fala foi feita durante missa solidária e novena perpétua batizada como "Maria, Ensina teu povo a rezar", que aconteceu no Santuário Diocesano Imaculado Coração de Maria, a Diocese de Naviraí, ainda no dia 08 deste mês. 

Mais recente, há cerca de um dia, deputado estadual do Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (PT-RS), Leonel Guterres Radde, começou uma jornada nas redes sociais buscando identificar o religioso. 

"Mesmo com toda essa catástrofe no Rio Grande do Sul, ainda temos que buscar criminosos para serem responsabilizados pela Justiça", disse o deputado, que posteriormente usou das redes para indicar que a denúncia no MPF já tinha sido registrada.  

Conforme a representação, o padre "efetua uma pregação criminosa, visto repleta de preconceitos religiosos", já que sua fala associa as tragédias no RS ao abandono do povo local "a religião correta, visto que, em suas palavras: 'o Estado abraçou o satanismo e a bruxaria'". 

Representação de Leonel junto ao MPF. Reprodução: Redes sociais

Discurso do católico

O padre destinou pouco mais de quatro minutos de discurso sobre a situação que afeta ao Estado no qual nasceu, até trechos desse discurso passarem a circular pelas redes sociais, chamando atenção ao "alerta" que o Padre faz, dizendo que o RS "há muito tempo abraçou a bruxaria e o satanismo" 

O padre afirma que "Deus não precisa mandar sofrimento", mas que a sociedade busca "coisas ruins" para si, complementando que "há muito tempo o povo tem se afastado de Deus". 

"O secularismo chegou ao Rio Grande do Sul, o Estado mais ateu da Federação. Existem mais centros de macumba na cidade de Porto Alegre do que no Estado da Bahia inteiro. Inteiro! Precisamos buscar a Deus porque quando vier a adversidade e a dor o que vai nos manter de pé é a fé", expõe o religioso. 

Evidenciando sua origem gaúcha, como sua família vive naquele Estado, ele expôs o drama enfrentado pela própria mãe no início do mês de maio, dizendo que sua matriarca por vezes reclamou de sede e fome.  

"Fico muito impressionado quando vou de férias para a casa dos familiares, ajudar os sacerdotes nas favelas, periferias ou mesmo em grande igrejas, e vejo uma missa dominical com cerca de 17 pessoas. Meu povo está abandonando a fé. O Estado se chamava Província de São Pedro", disse ele.

Abaixo você confere a fala do padre na íntegra, com pouco mais de quatro minutos, em que ele aparece junto à bandeira do Rio Grande do Sul e encerra com uma intercessão, convidando a igreja a orar de joelhos. 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).