Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Paraguai cria medidas mais rigorosas para manter fechamento da fronteira

Ação não foi bem aceita pelo lado Brasileiro
22/04/2020 12:35 - Bruna Aquino


 

Prestes a completar um mês, fechada, a fronteira do Brasil com o Paraguai passa por mais uma medida rigorosa de enfrentamento da disseminação do novo coronavírus. Isso porque ontem (21), os quilômetros de cerca de arame e pneus que impedia a travessia de paraguaios para o lado brasileiro em Pedro Juan Caballero à Ponta Porã, cidade a 297,7 quilômetros de Campo Grande, foi arrancada, mas não por equipes do Exército Paraguaio. 

O governo paraguaio decidiu então tomar medidas mais drásticas para evitar uma vez a movimentação na fronteira e segurar as pontas do isolamento social em Pedro Juan. O Exército Paraguaio por sua vez levou retroescavadeiras e cavou uma vala de 250 metros de comprimento evitando a passagem de veículos e pedestres. 

A ação do lado paraguaio desagradou o país vizinho. O ex-presidente da Câmara, o vereador Candinho Gabino (PSDB) informou que nenhuma autoridade de Ponta Porã foi avisada sobre a medida." Nada contra o isolamento e nem com os cuidados tomados em combater ao COVID 19 pelo país vizinho. Mais nós (Câmara Municipal) não fomos comunicados desse tipo de ação. Nossa linha de fronteira é cuidada pela Comissão de limites e nem um dos países pode simplesmente tomar uma iniciativa sem que os dois países estejam de acordo”, disse em rede social. 

Segundo o secretário de segurança de Ponta Porã, Marcelino Nunes, haverá uma reunião às 14 horas desta quarta-feira (22) com representantes do comércio do Paraguai e Ponta Porã, além dos vereadores e prefeito do município no Centro de Convenções da cidade. 

Em pauta, a reunião vai abrir o debate para a reabertura da fronteira com a possibilidade de uma barreira sanitária, já que o fechamento por quase um mês, afetou em 60% a economia de ambas as cidades. 

 

*Com informações do Porã News

 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.