Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PATOS SEM ÁGUA

Patos têm que se adaptar a novo normal com obras no Parque das Nações Indígenas

Falta de água devido a obras tirou animais da zona de conforto e agora eles são avistados na rua
09/09/2020 19:45 - Rodrigo Almeida


Com as obras de revitalização no Parque das Nações Indígenas (PNI), o lago secou e algumas espécies animais tiveram que encontrar outros locais para se refrescar. É o caso de um casal de patos.

A reportagem foi até a região e notou que os animais estão confusos com a intervenção no local. Sem água próxima, os animais tentam encontrar fontes novas para se alimentarem. E o meio aquático é essencial para essa espécie.

É nele que o animal encontra alimentos, em uma dieta composta por moluscos, pequenos invertebrados e plantas aquáticas. De acordo com a definição, estes animais são os únicos que conseguem nadar, voar e andar com competência.

O portão da rua Ivan Fernandes Pereira, em que eles são comumente avistados, é o mais distante da fonte de água mais próxima, que pode ser encontrada na outra ponta do parque, próximo ao Parque Estadual do Prosa.

Perguntado sobre a situação dos patos, o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) se limitou a responder que “acompanha as espécies de fauna nativa que circulam no PNI e habitam no Parque Estadual do Prosa”.

Com o fechamento do parque, o fluxo de pessoas minguou. Antes muitos visitantes alimentavam o casal que agora parece estar em situação difícil. 

Durante o tempo que a equipe do Correio do Estado esteve nos arredores do parque, os animais não saiam de perto, e inclusive seguiram os profissionais quando estes saíram.

Assim como a cidade está cheia de animais abandonados, cachorros e gatos precisando de um lar, fica a dica agora para quem quiser adotar um casal de patos. Talvez eles precisem de uma casa no campo.

 
 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...