Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

PDV é opção para quem não se adaptar à nova jornada, diz Azambuja

Governador diz que novo expediente é "demanda da sociedade"
16/04/2019 11:15 - TAINÁ JARA E RAFAEL RIBEIRO


 

Alegando que não pode "quantificar o número de servidores que irão aderir ao Plano de Desligamento Voluntário", sancionado nesta terça-feira (16), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) alegou que o programa é uma opção ao servidores que não se adaptarem à nova jornada de oito horas, que passa a valer a partir de 1º de julho.

"Vai ser opção para o servidor que não conseguir adaptar a sua vida à nova rotina. O programa vem como opção e atrativo. Como é facultativo, adere quem quiser, não temos previsão de quantos servidores vão participar e nem colocamos metas. O PDV vem para preencher a lacuna de quem não se adaptar às oito horas", disse o governador, durante o lançamento da Campanha do Agasalho deste ano, na sede do governo, no Parque dos Poderes, região leste da Capital.

Azambuja sancionou o PDV seis dias depois dela ser aprovada em segunda instância pela Assembleia Legislativa. O texto foi publicado no Diário Oficial do Estado (leia mais ao lado).

Segundo Azambuja, a nova carga horária do funcionalismo estadual "é uma demanda da sociedade." Pesquisas obtidas pela gestão apontam que 93% da população sul-mato-grossense exige o chamado 'expediente integral.' "Inclusive meu, que sou servidor", disse o governador.

"Nós estamos atendendo uma demanda da sociedade. Tem categorias que tem a carga específica. O militar trabalha 24 por 72 horas, o professor tem a carga horária já específica, mas a maioria dos administrativos tem uma carga específica das oito horas que vai começar a ser cumprida", completou o mandatário estadual.

REAJUSTE - Sobre o reajuste aos servidores deste ano, o governador foi direto e disse que iniciará em breve a negociação com os sindicatos, sem antecipar qualquer medida.

"Vamos ver o que é possível fazer no cenário que estamos. A secretária de administração e o secretário de governo estão abrindo uma agenda de de conversações, ouvindo as reivindicações e a gente vai dialogar com a categoria para ver o que é possível ser feito no cenário que estamos vivendo hoje", disse Azambuja.

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!