Clique aqui e veja as últimas notícias!

PESQUISA

De acordo com juíza, pedidos de proteção diminuem, mas violência doméstica não

Levantamento realizado no período da pandemia mostra leve queda nos pedidos de medidas protetivas, mas responsável alega que o motivo foi falta de acesso
05/09/2020 12:34 - Gabrielle Tavares


A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar realizou levantamento acerca da violência doméstica durante a pandemia, no período de 21 de abril a 21 de julho de 2020. De acordo com o Raio-X, houve diminuição nos pedidos de proteção.

Foram 1.106 concessões de medidas protetivas na Capital e 1.189 no interior. No mesmo período de 2019, foram 1.114 medidas protetivas em Campo Grande e 1.278 nas comarcas do interior.

Contudo, a juíza responsável pela pesquisa, Helena Alice Machado Coelho ressaltou que a leve diminuição não pode ser indicativo que a violência tenha sido minimizada. De acordo com ela, o acesso ao sistema de Justiça que está prejudicado.

Os dados apontam ainda 101 autos de prisão em flagrante na Capital e 474 no interior. Ano passado foram 130 em Campo Grande e 465 no interior.  

Os casos de feminicídio não diminuíram. Na Capital foram constatadas seis novas mortes e 20 no interior. Em 2019, Campo Grande também registrou seis casos e 18 no restante do Estado.

Outro fator grave detectado, a quantidade de tornozeleiras eletrônicas instaladas em autores de violência doméstica: 226 no mesmo período de 2019 contra 253 este ano em território sul-mato-grossense.