Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASIL

Pessoas fantasiadas de 'morte' incentivam idosos a sair da rua em vídeo

Autores da ação dizem que querem conscientizar da importância do isolamento
08/04/2020 23:00 - Estadão Conteúdo


Por fazer parte do grupo de risco para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, tem sido recomendado que a população de idosos permaneça em casa. Em alguns vídeos que circularam nas redes sociais recentemente, porém, os idosos que não seguiram essa recomendação se depararam com pessoas fantasiadas de "morte" nas ruas.

Um dos vídeos é de Mirandópolis, interior de São Paulo, e o outro do Rio de Janeiro. Em ambos, é possível ver as pessoas vestidas de morte com direito a foice, interagindo com idosos que estão fora de casa.

No Rio de Janeiro, o perfil que publicou inicialmente informa que a ação teria sido feita na frente de um supermercado em Irajá. Nela, uma pessoa, não identificada, aparece gesticulando com os idosos, tentando convencê-los a voltar para casa.

Um cidadão se vestiu de morte e foi para frente do Guanabará, em Irajá, para mandar os idosos, que deveriam estar em quarentena, para casa. O brasileiro é espetacular!

Já em Mirandópolis a pessoa fantasiada, que também não foi identificada, aparece conversando com alguns idosos e 'mandando' que voltem para casa. "É uma brincadeira só, estou mandando a 'velharada' [sic] embora. Conscientizando só, é uma brincadeira consciente", diz ele no vídeo.

Além disso, na gravação, ele explica porque estava fazendo a ação: "a população que está na rua, a maioria é grupo de risco. Só tem idoso. Eles têm que se conscientizar de que eles têm que ficar em casa".

 
Pessoas fantasiadas de 'morte' incentivam idosos a sair da rua em vídeo - Reprodução

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.