Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEMI-LOCKDOWN

Além de lanchonetes, pet shops também tem que atender por drive-thru

Prefeito alterou decreto permitindo banho e tosa e venda de produtos pelo sistema drive-thru
23/07/2020 11:46 - Glaucea Vaccari


Além de restaurantes e lanchonetes, pet shops também poderão atender presencialmente pelo sistema de drive-thru, aos sábados e domingos, em Campo Grande.

Decreto da prefeitura com medidas de restrição aos finais de semana permitia apenas o atendimento para assistência médica veterinária nestes estabelecimentos e via sistema delivery.

Alteração no decreto foi publicada no Diário Oficial do município desta quinta-feira (23).

Conforme o novo texto, “fica permitido, aos sábados e domingos, o atendimento presencial no sistema drive thru para a comercialização de lanches e refeições por restaurantes, lanchonetes, bares, buffets e similares, bem como a comercialização de alimentos para animais e prestação de serviços de banho e tosa por petshops.”

O drive-thru para os serviços alimentícios já havia sido autorizado em mudança feita no decreto, no dia 17 de julho. 

Os demais dispositivos do decreto de restrição continuam inalterados, podendo abrir apenas atividades consideradas essenciais, até o dia 31 de julho.

 
 

Fim de semana: o que abre?

  • Assistência à saúde, incluindo atividades da atenção primária a saúde e serviços médicos e hospitalares;
  • Farmácias e drogarias;
  • Hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros (incluindo as bancas de feiras livres), quitandas, padarias e centros de abastecimento de alimentos, respeitando o horário do toque de recolher.
  • Serviços de infraestrutura, tais como fornecimento de água, esgoto, limpeza urbana, energia elétrica, distribuição de gás, telefonia e internet;
  • Atividades relacionadas à cadeia de resíduos;
  • Postos de combustíveis e serviços de apoio em rodovias;
  • Atendimento médico veterinário;
  • Serviços de entregas (delivery) e de segurança particular;
  • Serviços funerários;
  • Serviços de hospedagem;
  • Serviços de mobilidade urbana;
  • Atividades religiosas, respeitando o horário do toque de recolher;
  • Ações de fiscalização e exercício do poder de polícia em geral;
  • Agências bancárias, com funcionamento exclusivo para pagamento de benefícios em caráter de auxílio emergencial;
  • Casas lotéricas podem funcionar exclusivamente para pagamento de benefícios em caráter de auxílio emergencial;
  • Construção civil;
  • Imprensa;
  • Aulas presenciais teóricas em cursos livres, técnicos ou preparatórios em geral, com apenas 30% da capacidade ocupada e dentro do plano de contenção de riscos, caso haja um para o estabelecimento;
  • É permitido o funcionamento em shoppings centers, feiras e centros comerciais apenas dos estabelecimentos que se enquadrem nas atividades de hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas, padarias e centros de abastecimento de alimentos;
  • Serviços de reparos emergenciais podem funcionar via delivery, ou seja, o prestador do serviço pode se dirigir ao local onde é necessário fazer o reparo. Exemplo, borracharias, serviços de mecânica ou similares.
  • Serviços prestados por funcionários de condomínios, relacionados à zeladoria e segurança particular, devem permanecer em funcionamento durante os períodos de paralisação;
  • O transporte coletivo só poderá atender usuário que comprove ser trabalhador dos serviços essenciais, por isso poderá ser cobrada a apresentação de documento que comprove, como crachá de identificação ou carteira de trabalho.
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...