Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASIL

PF prende em Brasília ativista Sara Winter

Sara é alvo de investigação por atos antidemocráticos, como manifestações por intervenção militar e pelo fechamento do STF
15/06/2020 08:14 - Da Redação


A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta segunda-feira (15) a ativista Sara Winter, em Brasília (DF). Segundo a CNN Brasil, o pedido de prisão, aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Mandados estão sendo cumpridos também contra cinco membros do grupo “300 do Brasil”, que Sara lidera. Ela foi levada para a superintendência da PF na capital federal.

A investigação foi aberta em maio pelo chefe do Ministério Público Federal (MPF), o procurador-geral Augusto Aras, para apurar quem financia e organiza manifestações antidemocráticas, que pedem intervenção militar e contra autoridades do Congresso Nacional e do STF.

O grupo de Sara é um dos alvos do inquérito. As manifestações pedindo o fechamento de instituições democráticas se intensificaram em março, conforme o jornal Correio Braziliense. Com várias faixas pedindo medidas políticas semelhantes ao Ato Institucional Número 5 da ditadura militar e o ataque direto aos poderes constituídos, o presidente da República, Jair Bolsonaro marcou presença nos eventos.  

 
 

FAKE NEWS

Sara também é alvo do chamado inquérito das fake news, do STF. A investigação também apura ataques a ministros do STF, do qual Moraes é relator na Corte. No dia 27 de maio, ela afirmou, por meio do perfil que mantém no Twitter, que os agentes da PF estiveram na casa dela. Nesta data, a corporação cumpriu mandados por ordem da corte no âmbito desse inquérito.

Na ocasião, a militante chamou o ministro Alexandre de Moares de covarde e disse que ele não a calaria. “Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável”, escreveu na conta que mantém na rede social.

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...