Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INDEPENDÊNCIA

Polícia Militar percorre ruas da Capital em desfile adaptado de 7 de Setembro

Tradicional desfile cívico-militar não foi realizado este ano devido a pandemia
07/09/2020 17:34 - Glaucea Vaccari


Tradicional desfile cívico-militar de 7 de setembro não foi realizado neste ano devido à pandemia do coronavírus, mas a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul fez uma adaptação para não deixar a data passar em branco, em Campo Grande.  

Para evitar aglomeração de pessoas e a consequente disseminação da Covid-19, o evento não foi divulgado ao público.

Em viaturas de quatro rodas, motocicletas e cavalos, policiais militares saíram dos altos da Avenida Afonso Pensa e seguiram até a Praça do Rádio Clube, no desfile adaptado.

Em comemoração ao Dia da Independência do Brasil, a homenagem foi acompanhada de sons de sirene e dos galopes da cavalaria.

Em meio a pandemia, policiais cumpriram medidas de biossegurança, com uso de máscaras de proteção facial e distanciamento. 

 
 

Desfile cívico-militar

De acordo com a Portaria nº 2.621, do Ministério da Defesa, a Presidência da República coordenou para os Comandantes da Marinha, Exército e Força Aérea Brasileira orientarem as forças para não participarem de eventos comemorativos da Independência, como desfiles, paradas e demonstrações.  

Eventro tradicional em Campo Grande, o show que a esquadrilha da fumaça faz todos os anos no feriado de 7 de setembro, na Base Aérea da Capital, também não foi realizado em 2020. 

O motivo é evitar a aglomeração de pessoas em meio a pandemia do coronavírus.  

O evento costuma reunir mais de 40 mil pessoas por ano e, além do show, contava com exposições e serviços como corte de cabelos e emissão de documentos para a população.  

É a primeira vez que o desfile é cancelado na Capital.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!