Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Polícia fecha festa em condomínio de luxo, prende proprietário. Veja o vídeo

Houve várias denúncias de festas barulhentas e constantes no Damha, em Campo Grande
15/08/2020 16:31 - Glaucea Vaccari


Proprietário de uma residência no condomínio de luxo Damha foi preso e autuado em R$ por festas rotineiras com som alto e desacato.

Polícias Militar Ambiental (PMA) e Civil receberam diversas denúncias de que na residência havia festas barulhentas e constantes.  

Inicialmente, policiais ambientais foram até o local e mediram, com um decibelímetro, a pressão de som emitida pela aparelhagem da banda que tocava na festa, sendo constatados 61,1 decibéis, acima do limite permitido para o horário, que é de 45.

PMA ressalta ainda que festas estão proibidas por decreto municipal, devido à pandemia do coronavírus.  

Com a constatação do crime ambiental de poluição sonora, policiais interditaram a festa e prenderam o proprietário da residência, de 43 anos, em flagrante.  

Durante a ação, convidados começaram a desacatar policiais e um dos músicos, de 31 anos, foi preso.

Um violão, um acordeom e um cajon foram apreendidos.  

Dono da festa foi autuado em flagrante por crime ambiental de poluição sonora e também responderá pela infração de descumprimento de medida sanitária preventiva, desobediência e perturbação do sossego.

PMA também efetuou auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 15 mil por poluição sonora. O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) julgará o processo administrativo da multa

Já o músico foi autuado por desacato e foi liberado após assinar Termo Circunstanciado de Ocorrência (TAC).

 
Festa no Damha ocorrida hoje - WhatsApp
 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.