Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Pontos turísticos do Rio de Janeiro permanecem fechados

Cidade iniciou ontem mais uma etapa de seu processo de flexibilização do isolamento social
18/07/2020 02:00 - Estadão Conteúdo


O Rio de Janeiro iniciou na sexta-feira (17) mais uma etapa de seu processo de flexibilização do isolamento social. A nova fase permite a reabertura de pontos turísticos da cidade, mas os principais deles permaneceram fechados - e ficarão assim por mais duas semanas.

Bondinho Pão de Açúcar, Trem do Corcovado, Paineiras Corcovado, Aquario e RioStar pretendem reabrir na primeira quinzena de agosto. Nos próximos dias, eles irão anunciar um "pacote de benefícios" para acelerar o retorno dos visitantes aos locais. Entre as medidas estará um desconto de até 50% no valor dos ingressos para quem for morador do Rio.

"Esse recomeço será unificado com outros equipamentos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, na intenção de retomar as atividades de forma conjunta e segura, visando o bem-estar e preservação da saúde de todos os visitantes e funcionários", disse em nota a assessoria do Bondinho Pão de Açúcar, acrescentando que o local está se preparando "com um protocolo de segurança que segue todas as medidas de saúde e higienização recomendadas pela OMS".

Nesta sexta-feira, apesar da temperatura na casa dos 24ºC - baixa para o padrão carioca -, as praias do Rio voltaram a ter movimentação. O decreto de flexibilização permite a prática de esportes coletivos de segunda a sexta em áreas delimitadas da faixa de areia. O banho de sol e o descanso na praia ainda estão vetados, mas alguns moradores arriscaram mesmo assim.

Quadras ao ar livre também voltaram a ter movimentação. No Parque do Flamengo, na zona sul, muitos aproveitaram o fim de tarde para jogar futebol.

 
 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!