Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDIFÍCIO VERTIGO

Andaime se rompe e fica pendurado em prédio emblemático de Campo Grande

Chuva também derrubou árvores e deixou bairros sem luz
07/04/2020 15:01 - Fábio Oruê


 

Andaime colocado do lado de fora do edifício Vertigo, no bairro Jardim dos Estados, em Campo Grande, se rompeu e ficou pendurado, nesta terça-feira, após a chuva com fortes ventos que atingiu o município durante a noite de ontem e madrugada de hoje. 

Conforme apurado pelo Correio do Estado, moradores e comerciantes dos arredores não viram o momento do acidente, que pode ter sido durante a madrugada. No momento ninguém trabalhava e não houve feridos. 

O edifício, que ainda está em fase de construção, será o maior de Campo Grande, e enfrentou problemas no seu processo de autorização, devido a magnitude do processo. O prédio terá 35 pavimentos e 110 metros de altura, onde as edificações podem ter, no máximo, metade dos 18 mil metros quadrados previstos no projeto.

 
 

Além disso, durante chuva forte, árvore de grande porte caiu e deixou estragos na rua Antônio Maria Coelho quase esquina com a rua José Antônio na região do centro por volta das 5h. Com a queda, parte da fiação dos dois lados da rua foram rompidas e nesta manhã algumas residências estão sem energia elétrica e sem sinal de internet. 

De acordo com a Defesa Civil, alerta da tempestade era de perigo potencial alto. Uma área de instabilidade está se intensificando e se espalhando devido a uma frente fria que avança sobre o centro-sul do Brasil.  

*Colaborou Valdenir Rezende

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!