Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RIO BRILHANTE

Prefeito justifica lockdown: não quero idosos morrendo

Prefeitura fechou os comércios não essenciais por 14 dias para reduzir contaminação por Covid-19
24/06/2020 17:51 - Daiany Albuquerque


 

A cidade de Rio Brilhante – a 160 km de Campo Grande – fechará todos os comércios não essenciais a partir de sexta-feira (26), conforme decreto municipal publicado nesta quarta-feira. Segundo o prefeito, Donato Lopes da Silva (PSDB), a medida foi tomada que para o isolamento social aumente e o município consiga, assim, reduzir a curva de contágio da Covid-19.

“Eu tentei de tudo para não fazer isso, mas as pessoas não colaboraram com o isolamento social, então vou fazer a força senão vai morrer muita gente aqui. Não vou ver idosos morrendo porque os jovens são assintomáticos e não estão nem aí para a doença”, declarou o prefeito à reportagem do Correio do Estado.

A medida é válida por 14 dias no município, que tem hoje, conforme dados da secretaria de saúde da cidade, 263 casos confirmados, dois óbitos e seis pessoas internadas, sendo quatro em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e dois na enfermaria.

“Está difícil, pessoal não quer aceitar, enquanto não morrer a mãe dele não vão aceitar. O foco começou com (frigorífico) JBS, são 194 funcionários que moram aqui. Por conta disso o município montou uma barreira sanitária e no segundo dia pegou sete pessoas com Covid-19 confirmada indo trabalhar. Fizemos testagem em todos os funcionários e 78 estavam infectados e andando por aí, são 78 famílias, a partir daí a coisa disseminou e o município começou a perder o controle”, declarou Silva.

De acordo com o prefeito, a doença já se alastrou pela cidade e servidores da própria prefeitura foram detectados com a doença, chegando também a profissionais da saúde. “Já são cinco profissionais linha de frente contra a Covid-19 infectados, entre eles uma médica, daqui a pouco nem profissional para trabalhar na saúde vamos ter mais, e o povo na rua, tomando tereré. A minha parte estou fazendo e não me arrependo”.

Ainda segundo o administrador, empresários da cidade estão se movimentando para fazer uma manifestação na sexta-feira contra as medidas tomadas pela prefeitura. “Eles podem fazer, é direto deles de se manifestar, só não vai pode abrir o comércio, se abrirem mando prender. Essa medida foi tomada por meio de orientação técnica, não sou eu que decidi sozinho. Temos infectologistas, a própria Secretaria de Estado nos ajuda e montamos um Comitê com 12 pessoas”.

A cidade também estabeleceu toque de recolher às 20h, exceto para pedidos delivery, que podem funcionar até às 22h. O consumo de produtos em lanchonetes, entretanto, está proibido também a abertura de igrejas e templos, além do fechamento de pistas de caminhada/corrida.

O transporte público pode funcionar com 40% de sua capacidade, devendo ser higienizado a cada percurso (ida e volta). Supermercados, hipermercados, açougues, frutarias, padarias e farmácias estão aptas para permanecerem abertas.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!