Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRISE

Prefeito volta a falar em redução salarial

Folha dos professores convocados está comprometida
14/04/2020 11:40 - Daiany Albuquerque, Izabela Jornada


Prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD) anunciou que será necessário corte de salários dos comissionados, gratificações, planos de cargos e carreiras e de funcionários com dedicação exclusiva. “É melhor cortar do que demitir”, declarou o prefeito ao mencionar a falta de recursos provenientes da baixa arrecadação, devido as medidas de isolamento social tomadas pelo Executivo municipal, durante a pandemia do novo coronavírus.

O prefeito voltou a lembrar do Plano Mansueto, que caso fosse aprovado daria a opção para a prefeitura emprestar capital. “O que acontece, o texto que estava em votação, estava para socorrer a União, estados, municípios e o Distrito Federal, mas o Rodrigo Maia suprimiu municípios. Nós movimentamos os deputados, e o Fábio [Trad] está à frente disso, ele fez uma emenda para retornar os municípios, porque se não vai morrer, vai ter que reduzir salários”, disse Marcos Trad, anteriormente.

De acordo com o prefeito, uma das maiores folhas salariais é dos profissionais da educação. Os professores convocados do município somam R$ 7 milhões de despesas para a prefeitura.

A Prefeitura de Campo Grande tem, aproximadamente, 24 mil funcionários e como a arrecadação caiu, aproximadamente, 70%, o prefeito já havia alertado sobre a dificuldade que seria arcar com os compromissos. Uma das estratégias será a redução dos salários dos servidores comissionados.

Constitucionalmente as prefeituras não podem reduzir o salário dos funcionários concursados, só dos contratados. “Posso não mexer talvez na remuneração, mas posso, com a permissão do Supremo, rever gratificações, planos de trabalho, uma série de outros requisitos que eleva o valor final do recebimento do funcionário público”, concluiu o prefeito.

 
 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.