Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TIRADENTES E REGIÃO

Prefeitura conclui obra de recapeamento da Avenida José Nogueira Vieira é concluído

Serão investidos R$16,7 milhões em 25 km de recapeamento nos próximos meses
13/06/2020 12:46 - Gabrielle Tavares


Foi concluída a obra de recapeamento da Avenida José Nogueira Vieira, no trecho entre a rotatória com a Avenida Três Barras até as proximidades da Rua Marques de Pombal. É a primeira fase do projeto da Prefeitura de Campo Grande, que prevê a execução de 25 quilômetros de recapeamento nos próximos 4 meses, com investimento de R$ 16,7 milhões.

O novo pavimento substituiu o asfalto antigo feito há mais de 20 anos na avenida. Os recursos são do financiamento contratado junto à Caixa Econômica Federal (linha Finisa). A região do Bandeira vai receber recapeamento em mais 8 km, as próximas sãos as ruas Marques de Pombal, Cayova, Marques de Lavradio, Avenida João Arinos e Avenida Três Barras.

Na região urbana do Lagoa, será recapeada a Rua Clineu da Costa Moraes, com 1 km de extensão, que liga a rotatória da Marechal Deodoro/Manoel da Costa Lima ao Jardim Leblon; a Rua Manoel Joaquim de Moraes e o seu prolongamento a Souto Maior, que atravessa vários bairros, como Vila Jussara, Coophama e o Bairro Tijuca, numa extensão de 3 quilômetros.

No Anhanduizinho, serão 4,6 km de recapeamento, abrangendo do Aero Rancho a Avenida Raquel de Queiroz, numa extensão de 1,3 km. O Bairro Pioneiros receberá asfalto novo a Avenida Filinto Muller e as ruas Francisco dos Anjos e Candelária.

Está no planejamento para ser licitado nos próximos dias, só que com recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional, o recapeamento do trecho final da Rua Ana Luiza de Souza, a principal via comercial do Pioneiros. 

No centro, estão programados 4 quilômetros, Ruas Chadid Scaff, Rodolfo José Pinho e Amazonas. Além do Prosa 2,3 km, trecho da Ceará até a Jales, e na Rua Coronel Cacildo Arantes.

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!