Cidades
MORADIA

Apesar de denúncias, fiscalização não encontra irregularidades no Residencial Canguru

De acordo com Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários nenhuma denúncia foi efetivamente comprovada

Ana Clara Santos

04/08/2022 16:58

 

Após diversas denúncias de que os apartamentos populares do Residencial Canguru, em Campo Grande, estavam sendo alugados ou vendidos, a Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhasf), em conjunto com a Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), realizaram uma fiscalização no local, na tarde desta quinta-feira (4). 

Por serem habitação de interesse social, as moradias não podem ser comercializadas de forma alguma e os únicos que podem ocupá-las são os beneficiários do programa de habitação da prefeitura previamente cadastrados. 

Além das denúncias, os fiscais verificaram se todos os apartamentos já estavam ocupados, uma vez que o prazo para que os moradores se mudassem venceu no último sábado, dia 30 de julho, quando o local completou um mês de inauguração. 

Ao Correio do Estado, a assistente social da Amhasf e coordenadora da ação, Marluce Soares Marques, explicou que o trabalho de fiscalização é constante e para verificar todos os apartamentos será preciso novas visitas, já que nem todos os moradores estavam no momento da abordagem.