Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Prefeituras não devem criar barreiras, afirma secretário

Coxim fechou entradas da cidade com manilhas e em Bonito equipes de fiscalização impedem a entrada
25/03/2020 18:05 - Glaucea Vaccari , Súzan Benites


Algumas prefeituras de Mato Grosso do Sul colocaram barreiras para quem ninguém entre ou saia da cidade, na intenção de conter o avanço da epidemia do novo coronavírus (Covid-19). O titular da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, disse que não há necessidade de criar barreiras.

Durante a coletiva transmitida pelas redes sociais, Verruck disse que alguns municípios têm tomado decisões de fechamento de fronteiras. “Volto a alertar os prefeitos que isso é desnecessário, o fechamento. O fluxo de pessoas e produtos tem que permanecer, obviamente com todos os rigores, então, por parte do governo do Estado não há fechamento de nenhuma rodovia, o que há é um controle sanitário nas divisas e nas fronteiras com a União”, explicou.

O secretário ainda recordou que trabalhadores da indústria tiveram problemas de acesso às fábricas. “Uma série de prefeitos tomaram medidas restritivas de fluxo de pessoas e de fluxo de produtos. Isso é importante, as atividades essenciais têm que ser mantidas, aqueles que estão previstas na lei”, explicou. 

O secretário ainda lembrou que na segunda-feira (23) foi lançado o protocolo sanitário com a indústria de celulose. “Hoje lançamos o protocolo sanitário com a indústria de carne, para que todos aqueles que precisam ir trabalhar tenha um protocolo definido. Toda a questão de diminuição de pessoas em ônibus, checagem de temperaturas, utilização de EPIs, então todo esse protocolo estamos fazendo para todas as indústrias de Mato Grosso do Sul. Não existe nenhuma medida do Estado de criar barreiras. Nós publicamos um decreto com 13 barreiras nas divisas com os estados de Goiás, Mato Grosso, São Paulo e Paraná, exatamente para fazer o controle sanitário, então nesses pontos, os veículos, os caminhoneiros, os ônibus serão paralisados para se fazer um controle sanitário”, reforçou Verruck.

 
 

CIDADES

A prefeitura de Coxim colocou manilhas em três acessos da BR-163 como uma das maneiras de conter a disseminação do coronavírus, no município. De acordo com o líder do Executivo, Aluízio São José, a decisão de criar barreiras sanitárias faz parte do Comitê de Crise e tem o objetivo de controlar a entrada e a saída de pessoas.

Uma das maiores preocupações do prefeito é a falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na cidade. “Coxim não tem UTI, estamos preparando um hospital de campanha, com 30 leitos, em parceria com o Exército, para atender os suspeitos e os confirmados também”, afirmou Aluízio. O local será destinado para realização de exames e instalação de algumas UTIs.

Outra preocupação do prefeito é em relação a cidade ser um local turístico em que recebe várias pessoas de fora. “Não temos como controlar esse fluxo e por esse motivo decidimos colocar as manilhas”, justificou.

Em Bonito, turistas estão proibidos de entrar por tempo indeterminado, como medida de enfrentamento a pandemia do coronavírus. Decreto publicado na segunda-feira (23) pela Prefeitura do Município proíbe a entrada de ônibus, vans e fretamento e carros com transporte de turistas no território do município e a medida começou a ser cumprida ontem (24), com barreiras de fiscalização nas duas principais rodovias de acesso à cidade.

De acordo com a Prefeitura, nas entradas do município são feitas a checagem de todos os veículos com verificação dos passageiros, para saber se são moradores ou turistas A fiscalização é feita pela Polícia Municipal, Vigilância Sanitária, agentes de saúde e Guarda Municipal.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!