Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Presa com cocaína, mãe diz que aceitou traficar para "filho não ser morto"

Trio com 23 tabletes de maconha e grana foi preso durante ação
21/08/2019 10:09 - RAFAEL RIBEIRO


 

Desespero para não ter seu casal de filhos morto. Essa foi a justificativa dada por uma mulher de 23 anos presa em flagrante com um quilo de cocaína pura nas suas bagagens em um Ônix preto de aplicativo na noite desta terça-feira (20), em um hotel na Vila Piratininga, região sul da Capital.

A prisão foi efetuada por policiais militares do Batalhão de Choque (tropa de elite da PM), que receberam a informação através de denúncia.

Segundo a PM, a acusada foi flagrada no momento em que se dirigiria até a rodoviária para embarcar até Aparecida do Taboado, onde teria como função pegar mais cocaína para levar até Santa Fé do Sul, no interior de São Paulo.

Os policiais do Choque até questionaram quanto ela ganharia pelo 'bico'. Mas a resposta surpreendeu. Na verdade alegou que seu marido está preso e que contraiu muitas dívidas no sistema penitenciário que, como forma de pagamento, forçaria ela a atuar como 'mula' para o tráfico.

O 'convite' para o trabalho foi pouco educado. Do outro lado do telefone, homens ameaçaram ela: ou fazia o 'corre', como se fala entre traficantes o ato de ir comprar drogas, ou seus filhos morreriam.

Desesperada, de imediato a mulher passou o endereço onde lhe entregaram a cocaína e que teria de voltar para pegar uma quantia de maconha.

O local apontado era no bairro Amambai, região central da Capital. Chegando por lá, três suspeitos faziam uma espécie de ponto entre um depósito de gás de cozinha e uma Kombi detonada. Com eles, um total de 23 tabletes de maconha e a quantia de R$ 1,8 mil que não souberam dizer a origem, evidentemente.

Todos os quatro, o trio da maconha e a mulher, foram levados à Depac Centro, onde foram indiciados por associação para o tráfico. As drogas apreendidas foram levadas para a Delegacia Espec ializada na Repressão aos Narcóticos. A Polícia Civil investuigará o vínculo dos homens com os responsáveis pelas ameçacas à mãe assustada.

 

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.