Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRIME

Preso guarda municipal procurado por duplo homicídio em Campo Grande

Segundo a polícia, Valtenir se entregou e presta depoimento na Deam
06/03/2020 09:20 - Bruna Aquino, Ricardo Campos Jr


 

O guarda municipal Valtenir Pereira da Silva se entregou na manhã desta sexta-feira (6). Ele era procurado por matar a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos e o marido da amiga dela, Steferson Batista de Souza. O crime foi cometido no último fim de semana em Campo Grande.

Ele foi encaminhado à Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), onde presta depoimento. Ainda não foram divulgados detalhes sobre as circunstâncias em que o suspeito foi encontrado.

Ontem, policiais civis de três delegacias diferentes se uniram em uma megaoperação para tentar encontrá-lo. Até um helicóptero foi utilizado. De acordo com denúncia anônima, Valtenir estava na casa de um primo, na região do bairro Aero Rancho. Nas buscas foram apreendidos uniformes da Guarda Municipal, a carteira funcional do autor e outros pertences pessoais.

Como havia um mandado de prisão em aberto contra o suspeito, ele deve ser mantido na delegacia até que a Justiça decida o destino dele.

DUPLO HOMICÍDIO

Valdenir não aceitava o fim da relação. Ele chegou a invadir a casa de Maxelline e ameaçá-la, motivando a vítima a registrar ocorrência e pedir medida protetiva. Domingo, ela estava em um churrasco na casa de amigos quando o guarda foi até o local.

Maxelline e a amiga Kamila Teles Bispo foram ver quem era e foram baleadas. Steferson ouviu o barulho e, ao sair de casa, também foi atingido.

Depois do crime, Kamila foi levada para a Santa Casa da Capital e depois transferida para o Hospital da Cassems, onde passou por cirurgia para a retirada da bala.

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!