Cidades

COMBATE AO TRÁFICO

A+ A-

PRF faz 2ª maior apreensão de cocaína do ano em MS

Caminhão na BR-262, em Dois Irmãos do Buriti, tinha quase 650 kg de pasta base e foi pego horas após Polícia Civil apreender outros 338 kg da droga em Rio Brilhante

Continue lendo...

Equipes das polícias Rodoviária Federal e Militar do Estado realizaram a segunda maior apreensão de pasta base do ano em Mato Grosso do Sul, ao apreenderem quase 650 kg da droga na noite desta terça-feira (05) em Dois Irmãos do Buriti.

Esse montante fica atrás apenas da 1,8 tonelada da droga, apreendida em 27 de fevereiro com ajuda dos cães da PRF, Amélia e Thor, no município de Sidrolândia. Além de maior do ano, esse foi o mais alto volume de droga única apreendida na história da própria Polícia Rodoviária Federal. 

Na noite de ontem (05), as polícias Militar e Rodoviária Federal do Estado abordaram na BR-262 o caminhão Scania que transportava a droga, e era transportado por condutor que cumpria pena em liberdade condicional por tráfico de drogas. 

 

 

Desconfiados das informações do condutor, a equipe do Canil do Batalhão de Choque da PMMS foi chamada para vistoria, e encontraram compartimento no reboque, momento em que o motorista assumiu que levaria drogas - pesadas em 649 kg totais - com rumo à Campo Grande. 

Ainda, essa apreensão aconteceu horas após a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul apreender 338,5 kg de cocaína, carga estimada no valor de R$ 17 milhões, transportada em um ônibus de empresa de turismo, na cidade de Rio Brilhante. 

Ao todo, as polícias em Mato Grosso do Sul apreenderam quase uma tonelada (987,5 kg totais) em menos de 24h, distante cerca de 230 km um ponto do outro. 

Apreensões do ano

Nos primeiros sete meses de 2023, Mato Grosso do Sul já havia registrado o ano recorde em apreensão de cocaína em rodovias federais do Estado e, mesmo que o recorde de cocaína apreendida tenha sido batido logo em fevereiro, o trabalho de combate ao tráfico de drogas rendeu bons resultados 

De janeiro a julho deste ano, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 10.824 kg do entorpecente, 96 kg a mais do que o apreendido em 2022, ano em que foram interceptados 10.728 kg da droga.

Nos primeiros 11 meses do ano, a quantidade apreendida passava dos 14.341 kg, antes mesmo do fim de novembro, sendo que 2022  já havia sido um ano recorde em comparação com os anos anteriores.

Em 2021, foram 5.201 kg apreendidos, e em 2020, primeiro ano que se tem registro no Observatório de Dados da Polícia Rodoviária Federal, foram interceptados 5.041 kg do entorpecente.

Se compararmos os anos de 2020 e 2021, podemos notar um certa estabilidade. Entre 2021 e 2022, tivemos o primeiro "boom", com aumento de 106% na quantidade apreendida.

Cabe destacar a vulnerabilidade das regiões de fronteira, entre elas a de Paranaíba, que fica na divisa com Minas Gerais, ponto onde em oito meses já haviam sido feitas sete grandes apreensões e mais de 2,3 toneladas. 

Em março foram apreendidos 217 kg, no mês seguinte quase 485 kg, encontrados em caminhão com carne resfriada. Além de apreensões pontuais mês a mês, uma única em 27 de julho rendeu 431 quilos de cocaína retirados de circulação. 

 

Assine o Correio do Estado

Justiça

Daniel Alves vai receber 1,2 milhão de euros da Receita espanhola

Justiça espanhola aceitou o recurso de Alves contra o processo aberto pela Fazenda

24/02/2024 23h00

Daniel Alves está preso desde o início do ano na Espanha Arquivo

Continue Lendo...

 O ex-jogador Daniel Alves, condenado nesta semana a quatro anos e meio de prisão pelo estupro de uma jovem em uma boate em Barcelona, em 30 de dezembro de 2022, vai receber 1,2 milhão de euros de indenização da Fazenda espanhola.

Segundo informações do diário espanhol La Vanguardia, de Barcelona, a indenização decorre de uma disputa que o ex-jogador da seleção brasileira tinha com a Receita daquele país em relação à renovação de seu contrato com a equipe do Barcelona no período de 2013 e 2014. Alves alegava que não deveria declarar à Receita os pagamentos pela intermediação do agente Joaquín Macanás na renovação.

A Justiça espanhola aceitou o recurso de Alves contra o processo aberto pela Fazenda pelo pagamento dos serviços de um agente Fifa.

Os advogados do ex-jogador querem que a devolução do valor seja feita imediatamente. Eles pretendem usar o dinheiro como garantia de fiança para solicitar a liberdade provisória de Alves até que a sentença por agressão sexual seja concluída.

Inés Guardiola, advogada que defendeu o ex-jogador no caso de agressão sexual, vai apelar da condenação e deve pedir a sua soltura nos próximos dias, alegando que, como a sentença é menor do que as penas de 9 e 12 anos que o Ministério Público e a acusação particular, respectivamente, pediam, não há mais o risco elevado de fuga.

A advogada quer usar parte da indenização como garantia de que Alves não fugirá. Ela argumenta que seu cliente não tem antecedentes criminais, possui residência em Esplugues de Llobregat (na região de Barcelona) e entregou seu passaporte após ser detido em 20 de janeiro do ano passado.

Desde a sua detenção, o ex-jogador está com suas contas bancárias congeladas, sem poder movimentá-las.
No Brasil, Alves é alvo de um processo judicial aberto por sua ex-mulher, Dinorah Santana, que pede o pagamento de pensão de seus dois filhos. O processo resultou no embargo de todoseu capital.

Por esse motivo Alves recorreu ao pai de seu amigo Neymar para pagar 150 mil euros de responsabilidade civil exigidos pelo tribunal espanhol durante a investigação do caso de estupro. Esse valor serviu como atenuante para reduzir a sentença do ex-jogador.

Caçada

Polícia oferece recompensa de R$ 15 mil por cada fugitivo de Mossoró

Investigação trabalhava com a hipótese de que a dupla tenha recebido ajuda fora do presídio

24/02/2024 16h30

Reprodução / Depen

Continue Lendo...

A polícia está oferecendo uma recompensa de R$ 15 mil por cada um dos dois presos que escaparam do presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A gratificação será concedida a quem fornecer informações que levem à captura dos fugitivos.

Os fugitivos foram identificados como Rogério da Silva Mendonça, 36 anos, conhecido como Tatu, e Deibson Cabral Nascimento, 34 anos, chamado de Deisinho. De acordo com as investigações, eles têm ligações com o Comando Vermelho.

Dois números foram divulgados pela polícia para denúncias, sendo o 180 e o (84) 98132-6057, este último também disponível no WhatsApp. As buscas estão no 11° dia neste sábado (24), com quase 600 policiais envolvidos na operação.

Três pessoas já foram presas sob suspeita de ajudar na fuga de dois detentos da penitenciária federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. As buscas pelos fugitivos chegaram ao nono dia.

Dois dos detidos na operação foram presos em flagrante com armas e drogas, já um homem estava com mandado de prisão e foi preso pela Polícia Federal em Quixabeirinha, em Mossoró. Um carro também foi apreendido pela polícia.

A investigação já trabalhava com a hipótese de que a dupla tivesse recebido ajuda fora do presídio. Isso, inclusive, teria motivado o cerco realizado na quarta-feira na cidade de Baraúna, no Rio Grande do Norte.

A polícia também identificou um possível endereço em que os fugitivos da penitenciária federal de Mossoró se esconderam, ampliando o cerco na divisa entre o Rio Grande do Norte e o Ceará. A descoberta foi feita após localizarem o homem responsável por levar comida para os fugitivos na sexta-feira (23).

O indivíduo que entregava a comida alegou aos policiais que a família estava sendo mantida refém, justificando assim a sua colaboração. As autoridades estão investigando se ele era uma vítima na situação ou se estava ajudando os presos na fuga.

Eles fugiram do sistema prisional na madrugada do último dia 14, Quarta-Feira de Cinzas, e teriam furtado roupas e alimentos no período da noite na comunidade Rancho da Caça. Dois dias depois, fizeram uma família refém, tendo levado dois celulares e carregadores.

Para fugir da penitenciária, eles usaram uma barra de ferro, retirada da estrutura da própria cela, para escavar o buraco da luminária pelo qual conseguiram escapar, afirmam integrantes da cúpula das investigações.

A luminária por onde os presos fugiram não estava protegida por concreto –apenas por alvenaria. Além disso, câmeras de vigilância não estavam funcionando, assim como algumas lâmpadas.

Investigações apontam que a penitenciária não estava fazendo revistas diárias nas celas ou nos detentos, o que seria um erro de procedimento. Mesmo as celas desocupadas deveriam receber inspeções regulares.

A Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado) no Acre prendeu na manhã desta sexta-feira (23) o irmão de um dos fugitivos do presídio de segurança máxima situado em Mossoró (RN).

De acordo com as autoridades, o homem tem condenação por roubo e participação em organização criminosa e estava com mandado de prisão em aberto. O nome do preso não foi divulgado.

Os policiais chegaram até ele em virtude das investigações acerca da fuga de dois homens da penitenciária federal em Mossoró (RN), afirma nota sobre a prisão divulgada pelo Ministério da Justiça.

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).