Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

PRIMEIROS

Com estudantes vindos de 14 estados diferentes, UEMS forma a primeira turma de Medicina em Campo Grande

A colação de grau aconteceu no modelo drive-in, nesta quarta-feira (21)
22/10/2020 17:00 - Brenda Machado


Após quase 27 anos de história, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) formou sua primeira turma do curso de Medicina. Ao todo, 47 estudantes.

Os pioneiros vinham de 14 diferentes partes do país, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Tocantins, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Paraná, Alagoas, Piauí e Maranhão. 

A colação de grau aconteceu na noite desta quarta-feira (21), no modelo drive-in.

Familiares e amigos dos alunos pararam os carros no estacionamento do Bloco A da universidade, e assistiram do telão à celebração: os formandos, de máscara, recebendo seus diplomas.

 
Recepção dos convidados durante a colação de grau da turma - Divulgação
 

A faculdade de Medicina da UEMS iniciou em 2015 e, mesmo em pouco tempo, chegou a ser a mais concorrida de Mato Grosso do Sul.

Em 2018, o curso atingiu a maior nota de corte (ampla concorrência) no Sisu entre todas as instituições de ensino superior do estado, com 800,27 pontos.

Ficou classificado também como sendo o segundo mais concorrido do Centro-Oeste, atrás apenas da Universidade de Brasília (UNB), com 815,31 pontos.

Nos últimos anos, o curso recebeu investimento de R$1,5 milhão do Governo do Estado, para melhorias na infraestrutura, contratação de docentes, compra de materiais e afins.

Durante a cerimônia, o secretário de Estado, Eduardo Ridel, que foi representando o governador Reinaldo Azambuja, agradeceu ao ex-reitor, Fábio Edir dos Santos, pela iniciativa de construção da Unidade de Campo Grande e também do curso de Medicina.

Internato de Medicina

Em fevereiro, a UEMS e o Governo do Estado firmaram um convênio com 25 municípios para o chamado internato regional.

A partir da parceria, os estudantes foram enviados, por um período de 2 meses, às cidades conveniadas para trabalhar no atendimento à saúde no interior do estado.

O objetivo é melhorar a experiência acadêmica, questão que foi reiterada pelo secretário Ridel.

"É uma responsabilidade enorme estar se formando nesse ano, ano marcado por fatores que afetam de diversas formas. Pela dedicação e comprometimento os Municípios agradecem”, disse ele.

 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!