Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LUTO

Produtora rural e escritora, Elza Dória Passos morre aos 91 anos em Campo Grande

Elza era conhecida por sua alegria e entusiasmo, que foram levados pela covid-19
31/08/2020 18:29 - Da Redação


Conhecida pela alegria de viver, a produtora rural Elza Dória Passos, de 91 anos, morreu na tarde desta segunda-feira (31), vítima da Covid-19.

Elza, ao longo dos seus 91 anos, acumulou vasta cultura, experiências marcantes e uma bagagem enorme de histórias bonitas para contar sobre sua vida e da família.

A responsabilidade bateu à porta ainda muito cedo, aos sete anos foi para o internato, na capital, com o objetivo de se dedicar aos estudos. 

Filha do produtor rural Mário Mendes Gonçalves, teve seis irmãos, mas era ela quem, desde muito nova, mostrava maior interesse pelas lidas do campo e era a mais ligada ao pai.

Com trabalhos significativos desenvolvidos à frente da associação de mulheres, Elza Dória se consolidou e ganhou mais confiança e força para seguir adiante, sempre em busca de novos desafios. 

Um marco importante em sua vida foi ter sido eleita a primeira mulher, no Brasil, a fazer parte da diretoria de uma Federação Patronal.

A paixão pela leitura, o amor e admiração por seu pai fez com que Elza o eternizasse em livros. 

Toda sua memórias a motivaram a fazer, com o escritor Luiz Alfredo Marques Magalhães, o livro ‘Um homem chamado Mario Mendes’, lançado no ano de 2016, que conta a história da vida de seu pai.

Ela contribui, também, com materiais, documentos, mapas, recortes de notícias, entre outros, para que Magalhães produzisse outro livro, este sobre a Companhia Matte Laranjeira, lançado em 2014.

*Com informações do Sindicato Rural de Campo Grande.

 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.