Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EM ANÁLISE

Projeto prevê que hospitais militares atendam toda a população durante a pandemia

Hospitais militares atendem, atualmente, apenas militares e dependentes
25/05/2020 18:37 - Da Redação


Projeto de Lei em análise na Câmara dos Deputados permite que hospitais militares sejam utilizados para atendimento de toda a população durante a pandemia do novo coronavírus. Em Mato Grosso do Sul, o Hospital Militar está localizado em Campo Grande.

Proposta foi motivada após a Justiça Federal negar pedido para uso de leitos desses hospitais por pessoas infectadas pela Covid-19 no Pará. 

Conforme o texto, restrição da utilização dos serviços ambulatoriais e médico-hospitalares pela população não militar ou não dependente de militares fica suspensa até o fim de 2021.

Proposta também determina quje os leitos disponíveis de terapia intensiva (UTI) e semi-intensiva desses hospitais sejam disponibilizados a toda a população por meio do Sistema Único de Saúde, constando de uma lista única.

Custos dos tratamentos dos pacientes não militares serão absorvidos pelos orçamentos das respectivas corporações a que estão vinculadas as unidades de saúde. O funcionamento desses hospitais hoje é regulado pelo Estatuto dos Militares.

Para o autor da proposta, deputado Helder Salomão (PT-ES), “o Estatuto dos Militares não pode ser usado para negar atendimento a uma pessoa que está necessitando de um leito de UTI, como vem ocorrendo em todo o País, mas com maior gravidade no Pará, onde as redes estadual e federal de saúde encontram-se saturadas”.

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.