ESPORTES

Inter “B” joga sob pressão no Gauchão

Inter “B” joga sob pressão no Gauchão
20/01/2010 04:18 -


A primeira tarefa foi executada com louvor. Agora, o time B do Inter encara a parte mais difícil. Após atuar com solidez e vencer o Ypiranga por 4 a 2, na primeira rodada do Campeonato Gaúcho, os garotos colorados chamaram a atenção e, agora, precisarão saber lidar com a pressão para repetirem o bom desempenho nesta quarta-feira, às 21h (MS). Os jovens colorados encontrarão no Parque Esportivo da Ulbra, em Canoas, os caçulas do Gauchão. O Porto Alegre, em sua estreia na elite do futebol gaúcho, deixou expectativas inversamente proporcionais ao adversário da noite, tendo sido goleado por 5 a 1 pelo Veranópolis ao debutar na competição. Os jogadores do segundo quadro do Inter têm mais 180 minutos para convencer Jorge Fossati a ganhar um espaço no elenco principal. Além do Porto Alegre, a equipe B atuará contra o Inter-SM, antes do retorno do time que disputará a Libertadores. O Porto Alegre planejou montar uma equipe mais competitiva para participar do Gauchão, mas o plano não se concretizou. A diretoria teve que se contentar com jovens jogadores, somando-os a nomes rodados do interior do estado, como o centroavante Adão, com passagem pelo Grêmio. Outro conhecido é o treinador Lisca. Por muitos anos, ele integrou as categorias de base do Inter. Outros jogos do Gauchão são: Juventude x Pelotas, Inter de Santa Maria x São Luiz, Ypiranga-RS x Santa Cruz-RS, Novo Hamburgo x Veranópolis e Esportivo-RS x Ulbra.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".