Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MORENÃO

Guardas que atuaram em protesto em terminal recebem advertência

Apesar de transgressão, comissão optou por pena mais leve
07/02/2020 17:27 - Adriel Mattos, Ricardo Campos Jr


 

Os três guardas municipais de Campo Grande, que atuaram em um protesto no Terminal Morenão, no dia 15 de novembro de 2019, receberam apenas advertência nesta sexta-feira (7). O inquérito a que eles respondiam concluiu que os agentes cometeram trangressão disciplinar conforme o Estatuto do Servidor Público Municipal.

O relatório da investigação, ao qual o Correio do Estado teve acesso, aponta a ação do grupo teve falhas de ordem tática, já que eles deveriam ter pedido reforços, o que não ocorreu. Cercados, um deles fez uso de força, ao sacar uma espingarda.

A conclusão do inquérito é que ação foi regular, devido ao cerco, que levou ao uso de spray de pimenta. Assim, o titular da Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social (Sesdes), Valério Azambuja, acatou o resultado da investigação, arquivou o documento e aplicou apenas advertência.

Por outro lado, os guardas devem passar por curso de aperfeiçoamento antes de voltar às ruas. A suspensão ao porte de arma foi revogado. O relatório foi enviado para a Polícia Civil, Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS) e Defensoria Pública.

O CASO

No dia 15 de novembro de 2019, um grupo composto em sua maioria por mulheres que trabalham como diaristas esperavam o ônibus da linha 072 (Morenão-Nova Bahia). Era feriado e a quantidade de veículos operando havia sido reduzida pelo Consórcio Guaicurus. O problema era que os passageiros não estavam de folga.

Quando a demora passou de uma hora, o grupo bloqueou a saída de coletivos em protesto contra a má-prestação do serviço.

O Grupo de Pronta Intervenção (GPI) foi acionado. A multidão acusou os guardas de dispersarem o protesto usando spray de pimenta e portando armamento pesado (com munição de borracha) para garantir o direito de ir e vir dos demais passageiros que tentavam deixar o terminal.

Azambuja convocou uma coletiva dias depois e afirmou que a atitude dos servidores havia fugido do padrão exigido pela Guarda Municipal e determinou a abertura do processo disciplinar.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!