Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DADOS

Quatro cidades de MS têm incidência da Covid-19 três vezes maior que a da Capital

Três Lagoas, Batayporã, Sonora e Chapadão do Sul somam juntas 45,14 pacientes contaminados a cada 100 mil habitantes.
01/05/2020 12:40 - Ricardo Campos Jr


 

Em números absolutos, Campo Grande concentra praticamente a metade de casos de Covid-19 de Mato Grosso do Sul, mas há quatro municípios do Estado cuja incidência da doença é três vezes maior em relação à da Capital. Três Lagoas, Batayporã, Sonora e Chapadão do Sul somam juntas 45,14 pacientes contaminados a cada 100 mil habitantes.

Juntas, elas têm 80 infectados, o que corresponde a 59,7% dos 134 campo-grandenses que testaram positivo.

A conta foi feita pelo Correio do Estado com base nas estimativas populacionais mais recentes divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE).

O Governo do Estado divulgou hoje a incidência individual da Covid-19 por município e os resultados são semelhantes. Sozinha, a cidade de Sonora tem quatro vezes mais casos a cada cem mil habitantes do que a Capital, com índice de contaminação de 67,4 nessa faixa populacional.

Batayporã ocupa o segundo lugar do ranking com 53,4 casos a cada 100 mil pessoas e Chapadão do Sul tem 55,7 contaminados nessa mesma proporção.

CAPITALxTRÊS LAGOAS

O município de Campo Grande ocupa o nono lugar do ranking estadual na incidência da Covid-19 e Três Lagoas, o quarto.

A principal cidade do Bolsão, e a terceira maior de Mato grosso do Sul, tem 42,83 casos do novo coronavírus a cada 100 mil habitantes, o dobro em relação à Capital, que tem 14,9 contaminados nessa mesma proporção.

Três Lagoas completou ontem os primeiros 30 dias desde o primeiro caso da Covid-19 com 52 contaminados. Entre 14 de março e 12 de abril (primeiro mês com novo coronavírus em circulação), a Capital teve 51 positivos.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!