Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INFRAESTRUTURA

Quais obras travadas o Governo Federal pretende concluir durante o ano de 2020?

Alguns empreendimentos em Mato Grosso do Sul foram contemplados no orçamento
22/09/2020 06:00 - Ricardo Campos Jr


O Governo Federal pretende gastar R$ 11.6 bilhões em obras e projetos que já estavam em andamento em todo o território nacional, conforme consta no Orçamento 2021, encaminhado semana passada ao Congresso.  Desse montante, R$ 30,7 milhões serão aplicados em Mato Grosso do Sul.

A previsão vai ao encontro do discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de priorizar a conclusão de empreendimentos que estão inacabados há décadas. 

No Estado, o projeto mais caro previsto na peça orçamentária é a construção do entroncamento da BR-163 em Rio Verde de Mato Grosso com a BR-262 em Aquidauana. De acordo com o texto da lei, serão necessários R$ 27,9 milhões para finalizá-lo.

A construção da delegacia de Polícia Federal em Ponta Porã também está na lista e deve receber um investimento de R$ 2 milhões. Por fim, a construção do anel viário de Campo Grande nas BRs 060, 163 e 262 no valor de R$ 800 mil. 

Grande parte do montante a ser investido em todo o país vai para obras relacionadas à malha viária: R$ 5,3 bilhões. Também fazem parte do pacote a construção de uma segunda ponte sobre o Rio Guaíba no Rio Grande do Sul e /pavimentação da BR-101 na divisa entre a Bahia e o Sergipe; a BR-101 no trecho entre as divisas entre Alagoas/Pernambuco e Alagoas/Sergipe; a BR-163 no trecho entre Rondonópolis e Cuiabá e a BR-020 entre as divisas de Goiás/Distrito Federal e Goiás/Bahia.

 
 

LOGÍSTICA

A União também prevê investimentos de R$ 579 milhões para o sistema ferroviário. Embora Mato Grosso do Sul precise da injeção de verbas nesse setor, o destaque será a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) na Bahia, que já está em andamento e deve ficar pronto em 2023.

Também devem receber melhorias os aeroportos que ainda estão nas mãos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Ao todo serão R$ 109,6 milhões para revitalização de terminais.

O Aeroporto de Campo Grande já está com projeto de reforma pronto, mas não está na lista. No orçamento do ano que vem constam os aeródromos de Foz do Iguaçu (PR), Confins (MG), Santos Dumont (RJ), Congonhas (SP), Viracopos (SP), entre outros.

Congonhas e Santos Dumont, que estão na lista dos maiores e mais importantes aeroportos do país, devem passar por reforma de pistas e pátio de aeronaves.

VERBAS

O orçamento traz as intenções de investimento do Governo Federal e só deve se confirmar à medida que a expectativa de arrecadação atinja ou ultrapasse os montantes previstos. O montante total de recursos que serão destinados ao tópico investimentos é de R$ 28,7 bilhões.

No geral, espera-se mais um ano de arrocho fiscal para manter o teto de gastos, limitando o crescimento das despesas totais aos índices inflacionários. De tudo o que o país deve arrecadar ano que vem, 93,7% devem ser destinados ao pagamento de despesas obrigatórias, como salários de servidores públicos, aposentadorias e pensões.

Somente com a previdência, serão R$ 704,4 bilhões para pensões e aposentadorias. Isso deve abocanhar quase metade do orçamento. 

Já as despesas com pessoal devem consumir R$ 337,3 bilhões (22,2%) do orçamento e para as emendas parlamentares estão previstos R$ 16,3 bilhões. Isso faz com que a quantia que sobra para destinar a obras, empreendimentos e investimentos acaba sendo pouco.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...