Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PREVISÃO

Reforma do Parque do Sóter pode ser concluída em 4 meses

Obra é realizada por reeducandos, e população voltou a frequentar local
04/03/2020 12:52 - Camila Andrade Zanin


 

Com previsão de durar até abril, a reforma do Parque Ecológico do Sóter, localizado no Bairro Mata do Jacinto, iniciada em janeiro, terá intervenções nas áreas de serralheria e pintura, até construção civil. Com uma área de 22 hectares, a obra é feita por reeducandos em cumprimento de pena nos regimes semiaberto e aberto em Campo Grande. 

Conforme a diretoria da empresa responsável pela intervenção, a experiência com a mão de obra carcerária tem sido produtiva. “Inicialmente contratamos para cumprir a legislação, depois dos primeiros internos, vimos que existem profissionais excelentes e então chamamos mais”, destacou um dos diretores executivos.

Ao todo, 18 internos que cumprem pena no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira (CPAIG) atuam através desse convênio. Contratados por uma empresa privada que assegura reserva de no mínimo 5% das vagas de trabalho para sentenciados em regime semiaberto ou aberto, os internos são os responsáveis pela reforma do gradil externo e a pintura do local.

Um dos funcionários da obra, que não quis se identificar, contou ao Correio do Estado que a ponte, que era uma grande questão do parque, já está inteira e pronta - obra feita por outra empresa. A sua empresa está responsável pela recolocação do gradil e pela pintura. Ele afirma que as pessoas já estão voltando a frequentar o parque. “De manhãzinha, e no fim de tarde, vemos várias pessoas vindo caminhar aqui no parque, trazer a criançada para brincar”. 

Inaugurado há 16 anos, o Parque Ecológico do Sóter foi projetado como modelo e conta com quadras poliesportivas, pista de skate e patinação, pista de cooper, parque infantil, ciclismo e quiosque com churrasqueira. Um usuário do parque, Wilson Júnior, de 24 anos, afirma que antes das obras começarem o parque parecia abandonado. “O mato estava alto, as coisas todas quebradas e jogadas, era até perigoso vir aqui”. 

Mas agora ele observa de forma diferente. "O parque está com outra cara, está sendo cuidado. O pessoal está voltando a frequentar aqui, porque as obras estão andando. A galera vem jogar bola, fazer exercício, passear, levar as crianças nos brinquedos. Tem até aula de yoga e alongamento. Eu mesmo, estou de férias e aproveito para vir tirar um lazer aqui”.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.