Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVA GESTÃO

Resposta sobre pista de testes esburacada no Detran sai na quinta-feira

Novo diretor-presidente deve dar explicações durante coletiva
09/03/2020 18:45 - Fábio Oruê


 

Posicionamento do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) sobre denúncia feita pelo Correio do Estado na edição de hoje (9) deve sair na quinta-feira (12), em coletiva com o novo diretor-presidente do órgão, Rudel Espíndola Trindade. 

Para constatar o abandono do complexo que já foi modelo para outros estados, basta uma rápida caminhada pela repleta de buracos pista de testes para habilitação de motoristas, conforme publicamos. 

“Atrapalha bastante algumas manobras, como, por exemplo, estacionar o carro”, conta a atendente Júlia das Chagas Mendes, que foi à pista de provas para realizar o exame prático para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).  

Em frente à pista para testes com carros e motocicletas há, pelo menos, 10 grandes buracos, que colocam em risco não somente a parte mecânica dos veículos, mas até mesmo a integridade física dos aprendizes.

 
 

Os buracos, porém, não são os únicos problemas da sede do Detran. Basta uma caminhada por todos os blocos do local para notar a falta do zelo necessário. A minicidade do projeto Detranzinho está com as pistas em boas condições, mas tomada pelo mato.  

Rudel, que estava no comando da estatal MS Gás, assume o órgão a partir desta segunda-feira. Ele substituirá Luiz Carlos da Rocha Lima, que deve assumir o cargo de assessor especial da Secretaria de Governo, ocupado anteriormente pelo ex-prefeito de Amambai e ex-deputado estadual Dirceu Lanzarini, assassinado no dia 24 de fevereiro por um funcionário de sua fazenda durante uma discussão.

*Colaborou Eduardo Miranda 

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.