Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

UFMS marca retorno das aulas presenciais para 11 de maio

Se houver mudanças no cenário da pandemia, pode haver alteração
10/04/2020 18:36 - Glaucea Vaccari


 

Retorno das aulas presenciais na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) foi fixado para o dia 11 de maio, pelo reitor da instituição, Marcelo Turine. Conforme portaria, todas as atividades devem retornar na data, sendo as administrativas e acadêmicas dos cursos de graduação e de pós-graduação (lato e stricto sensu).

De acordo com a UFMS, a data de retorno presencial foi apresentada e discutida na última segunda-feira (6), em reunião do Comitê Operativo de Emergência (COE/UFMS), que avalia o quadro epidemiológico da Covid-19 no estado e o andamento das atividades administrativas e acadêmicas na Universidade.

Planos de contingência da universidade foram avaliados positivamente e o cômite encaminhou à reitoria posicionamentos para retorno às aulas presenciais no dia 11 de maio, em consonância com a data de 4 de maio, estipulada pela rede estadual; concessão de insalubridade, respeitado o devido processo legal, dos servidores em linha de frente; possibilidade de alteração de matrícula de disciplina isolada na graduação, de forma excepcional.  

“O momento é de união, em que a UFMS, com base na qualidade de seus professores, técnicos e estudantes, se revela à sociedade, que enxerga a nossa universidade como ela realmente é: gigante, forte e comprometida. Estamos atentos e acompanhando a evolução da doença. Nossa principal preocupação continua sendo com as pessoas, a preservação da saúde mental e física”, afirmou o reitor.

Durante o período até a data marcada para o retorno das aulas, cômite continuará acompanhando a evolução e contágio do coronavírus. Se houver mudanças no cenário, o COE avaliará e novas decisões poderão ser tomadas. 

 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido