Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Réveillon do Rio não foi cancelado, mas terá novo formato

Novo projeto ainda será discutido com setores envolvidos na festa
27/07/2020 01:00 - Agência Brasil


O prefeito Marcelo Crivella afirmou ontem (26) que a festa de réveillon deste ano não foi cancelada, mas terá que ser reformulada, por causa da pandemia de covid-19.

Crivella disse que, assim que receber da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) a proposta de um novo formato para o evento, com possibilidades virtuais, levará o projeto à discussão com o setor de hotéis e restaurantes e demais envolvidos na festa da virada de ano.

Segundo o prefeito, o formato do evento precisará ser remodelado caso não seja descoberta a tempo uma vacina para conter a doença provocada pelo novo coronavírus. “Não foi adiado. Estamos pensando em fazer o réveillon de outro jeito.”

Na semana passada, a prefeitura havia considerado "inviável" a realização da festa nos moldes tradicionais

Ele informou ter recebido da Riotur um comunicado dizendo que, se continuar a pandemia, e não houver um retroviral ou uma vacina, a festa terá de ser virtual. “Vamos discutir com os hoteis e os restaurantes como será feito isso.”

A Riotur reiterou que o réveillon do Rio de Janeiro está mantido, mas deverá ser “obviamente” adaptado à nova realidade da pandemia.

De acordo com a empresa, embora não haja ainda um formato definido para a festa da virada, não estão cancelados a queima de fogos, nem os shows e projetos de iluminação.

Crivella disse que espera ter notícias novas sobre o assunto nesta semana.

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!