Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

RODOVIAS

Obras de duplicação na MS-156 em Dourados começam nas próximas semanas

Valor da obra está estimado em mais de R$25 milhões, contrato ainda será assinado
10/08/2020 12:00 - Gabrielle Tavares


A rodovia estadual MS-156, em Dourados, vai começar a ser duplicada nas próximas semanas. O contrato com a empresa que ganhou a licitação ainda será assinado, mas o valor é de mais de R$ 25 milhões.

As obras serão executadas em um trecho de 7,3 km de extensão, que também receberá adequações de segurança e drenagem. A área terá início na BR-163 e seguirá até o Distrito Industrial do Município.

As intervenções além de melhorar o tráfego na região, vão garantir qualidade no escoamento de insumos.

O nome da empresa vencedora do processo licitatório foi publicado na última quarta-feira (5), no Diário Oficial do Estado.  

“Estrada da anarquia”

A via que liga Dourados ao Distrito Industrial enfrenta problemas de acúmulos de lixo e invasão de terras há anos.  

Em 2018, veículos locais alegaram que o lugar era conhecido como "estrada da anarquia".  

O apelido foi dado por moradores e proprietários de terras localizadas na região, pelo grande acúmulo de lixo, entulhos, animais mortos, restos de pneus e resíduos de toda a espécie. 

Mais obras

Até o próximo ano, Dourados e região devem receber R$200 milhões em investimentos.

Na MS-156 será construída uma passarela de pedestres que vai atender moradores de diversos bairros, como Guaicurus e Dioclésio Artuzi.

Além disso, haverá pavimentação em 8 km do trecho que vai desde o Aeroporto Francisco de Matos Pereira até BR-463, abrangendo o acesso à MS-162. A vencedora da licitação deve começar a obra nos próximos dias.

O trecho que liga o anel viário de Dourados até o Hospital da Missão Caiuá e o quadrilátero central entre as ruas Cuiabá-Ponta Porã e Aquidauana-Eulália Pires, também serão recapeadas.

 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.