Clique aqui e veja as últimas notícias!

DESENVOLVIMENTO

Estado deve construir 63 novas pontes de concreto até 2022 para melhorar rodovias

Projeto de pontes faz parte de dois programas do governo estadual
31/01/2021 09:02 - Brenda Machado


O Governo de Mato Grosso do Sul pretende construir 63 novas pontes de concreto até o fim do ano que vem.

As obras que, segundo divulgado neste domingo (31), já estão em execução fazem parte dos programas “Mais Pontes” e “Governo Presente”.

Últimas Notícias

Entre os anos de 2015 e 2018, foram entregues 100 pontes de concreto, espalhadas por vários municípios de Mato Grosso do Sul.

A decisão por substituir pontes de madeira por estruturas de concreto tem relação com maior durabilidade, resultando em menos manutenção e mais segurança aos usuários.

Sem especificar quais são os pontos onde há obras em execução e em quais outros as implantações já foram realizadas, o Governo divulgou os nomes das seguintes cidades, como fazendo parte do projeto de pontes:  Guia Lopes da Laguna, Paranhos, Nioaque, Jardim, Rio Verde de Mato Grosso, Bela Vista, Dourados, Costa Rica, Aral Moreira, Anastácio, Rio Brilhante, Tacuru, Amambai, Caarapó, Maracaju, Japorã, Iguatemi, Novo Horizonte do Sul, Tacuru, Porto Murtinho, Amambai, Deodápolis, Sete Quedas, Coronel Sapucaia, Jateí, Juti, Naviraí, Dois Irmãos Do Buriti, Eldorado, Ivinhema, Camapuã, Cassilândia, Coxim, Paranaíba, Ponta Porã, Aquidauana, Bandeirantes, Gloria De Dourados, Rio Negro, Corumbá, Água Clara, Bodoquena, Paraíso Das Aguas, Batayporã, Pedro Gomes, Corguinho, Campo Grande, e Laguna Carapã.

O desenvolvimento na infraestrutura do estado afeta diretamente a vida do comércio. A distribuição de mercadorias acontece também pelo sistema rodoviário que sente os impactos das reformas.

"Essa obra trouxe grandes benefícios para a região, melhorou o tráfego e permitiu o escoamento da produção”, comentou o prefeito de Guia Lopes da Laguna, Jair Scapini, sobre a obra feita após o desabamento da ponte que atravessava o rio Santo Antônio.

A estrutura cedeu devido à força do acumulado das chuvas e acabou isolando regiões de produção agropecuária, além de prejudicar o deslocamento de alunos da zona rural.

Com a finalização das obras, prevista para 2022, serão 163 estruturas entregues num intervalo de 7 anos. A implantação envolve cerca de 60% do estado.