Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

É HOJE!

Sábado é o “Dia D” da campanha nacional contra o sarampo

Na Capital, 39,2 mil pessoas estão na faixa etária de imunização
15/02/2020 07:45 - Da Redação


As 71 unidades de saúde de Campo Grande abrem neste sábado (15) para o “Dia D” da campanha nacional de vacinação contra o sarampo. Durante todo o dia, as unidades estarão abertas para atender a população.

A campanha de vacinação da tríplice viral, que imuniza contra o sarampo, rubéola e caxumba, vai até o dia 13 de março. Este sábado foi a data escolhida para que todas as unidades estivessem abertas para atender à população de 5 a 19 anos, que não consegue comparecer na unidade durante a semana.  

No total, Campo Grande tem 39.230 pessoas nessa faixa etária. O Ministério da Saúde estima que cerca de 20% dessa população necessita de pelo menos uma dose do imunobiológico. A vacina é dada às crianças que completam 12 meses e um reforço é dado aos 15 meses de idade.  

Desde 2019, o governo federal estipulou também a “dose zero” para que crianças com idades entre seis meses a menores de um ano tomem a vacina. Elas eram as maiores vítimas do surto que acontece no país. A primeira etapa da campanha foi lançada em outubro, com imunização de crianças entre um e cinco anos.  

Das suspeitas registradas em Campo Grande durante todo o ano passado, apenas um caso foi confirmado, que é considerado importado, uma vez que o paciente passou a apresentar sintomas depois de uma viagem com familiares a São Paulo, estado que concentra 98% dos casos de sarampo no país. Outros 34 foram descartados e um ainda está em investigação. Em 2020, foram registrados até agora apenas três casos suspeitos. Eles ainda estão sob análise para confirmação ou descarte da doença.

 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.