Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VOLTA NA PANDEMIA

Saiba como foi a volta na primeira capital a liberar aulas

Campo Grande continua a discussão para reabrir as escolas enquanto Manaus já abriu 70% delas
18/07/2020 14:44 - Estadão Conteúdo, Fábio Oruê


Depois de três meses sem atividades presenciais por causa da pandemia de coronavírus, escolas particulares de Manaus (AM) - a primeira capital a retornar as aulas - voltaram a abrir as portas para os alunos no início deste mês de julho. O Governo do Amazonas autorizou o retorno das atividades presenciais nessas instituições e divulgou uma cartilha com normas e recomendações oficiais de segurança.

As escolas particulares da capital amazonense vão se adaptando com a adoção de diversas medidas, como aula sem sapatos, recreio a dois, rodízio de aula presencial e online e protetores faciais. As atividades retornaram no dia 6, seguindo recomendações da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) como: evitar aglomeração, contato físico e/ou compartilhamento de materiais entre alunos, aula limitada a 50% da capacidade de lotação e distanciamento mínimo de 1,5 metro entre cadeiras.

Conforme a presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas (Sinepe), Elaine Saldanha, 70% das escolas na capital, do infantil ao médio, retornaram com rodízio entre turmas, além das mudanças de horário de entrada e saída, e intervalos. "Itens que são fundamentais: máscara para todos os alunos, professores e visitantes, aferição da temperatura ao entrar - tanto de colaboradores, professores, alunos e visitantes. Evitar aglomerações e maior distribuição de pias." Protetores faciais também foram adotados.

 
 

CAMPO GRANDE 

Já na Capital de Mato Grosso do Sul, escolas particulares poderão retomar as aulas presenciais no dia 24 de agosto. Data foi pré-fixada em reunião realizada na terça-feira (14), mas o efetivo retorno dependerá da situação epidemiológica do coronavírus.  

Mesmo com a definição da data e caso seja possível a reabertura das escolas, os pais que preferirem manter os filhos em aulas remotas poderão fazê-lo. As aulas na rede municipal e estadual ainda não tem previsão de retorno. 

 
 

SÃO PAULO

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, reafirmou que o governo paulista trabalha com uma previsão inicial de retomada das aulas no ensino público e privado de São Paulo somente a partir do dia 8 de setembro. Mas, segundo ele, isso só vai ocorrer se todos os protocolos de saúde forem cumpridos: o governo paulista condiciona a volta às aulas somente quando todas as regiões do estado estiverem na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo por pelo menos 28 dias.

“Os protocolos da educação estão mantidos. Muitas pessoas estão falando da data e muito mais importante do que a data é termos as condições obrigatórias sendo cumpridas. Ou seja: só voltaremos em 8 de setembro se as condicionalidades determinadas pelo Centro de Contingência [do Coronavírus em São Paulo] forem cumpridas", disse ele.

 

Felpuda


Falatório e atitude de membro da família acenderam a luz vermelha no “QG” de candidato, pois poderão causar muitos estragos. 

A tropa de choque de defensores do candidato a prefeito já foi colocada em campo e só falta falar que os genes de ambos são diferentes. 

E com relação ao dito-cujo, sabe-se que deverá ser orientado a “baixar a bola” nos próximos dias, mais precisamente até o término da campanha eleitoral.

Afinal...