Cidades

Cidades

Saiba como será o Onix, rival da Chevrolet para o Gol

Saiba como será o Onix, rival da Chevrolet para o Gol

Continue lendo...

No final da década de 90 a Chevrolet passava por um dos seus melhores momentos no Brasil. Tinha lançado o Corsa há alguns anos e conseguido conquistar um público mais acostumado aos modelos da Volkswagen. Também vendia o modelo mais desejado do país, o Vectra, aquele dos retrovisores integrados ao capô. Seus carros eram usados pela Presidência da República e ela ainda tinha na manga o Astra, que viria a brigar com o Golf pela liderança do segmento de hatches médios. O passo seguinte seria o mais ousado da montadora em sua longa história no Brasil, o projeto "Blue Macaw" ou “Arara Azul” em português.

Na época, a GM prometeu que ele seria o veículo mais barato do país, batendo o Uno Mille, que já levava a Fiat a disputar a liderança do mercado com a Volks.

Baseado no Corsa, mas com uma construção bem mais espartana, o hatch começou a ser produzido numa nova fábrica em Gravataí, RS, que usava um método avançado de produção, com os fornecedores dentro da linha de montagem. No papel, tudo perfeito, mas quando o Celta – o nome escolhido para o projeto “Arara Azul” – chegou ao mercado, em 2000, seu preço não era o mais barato do Brasil e o modelo também pecava pela simplicidade exagerada.

A GM, aos poucos, corrigiu alguns defeitos de nascença do Celta, lançou uma versão sedã (Prisma) e investiu em motorizações fortes para tornar o carrinho bem sucedido. E ele reagiu, tornando-se um dos principais produtos, mas nunca foi páreo para Gol, Uno ou Palio, seus principais rivais.

Pois o Onix, seu sucessor natural, deve assumir esse papel no final deste ano, quando chegar às concessionárias da Chevrolet. O nome, aliás, é usado como referência ao projeto, mas já foi até registrado pela marca e tem grandes chances de ser mantido.

Para brigar com Gol, Uno e Palio

Entre tantos modelos lançados nos últimos meses, seguindo a estratégia de renovar toda a linha num curto espaço de tempo, a GM deve colher mais resultados com o Onix. Enquanto modelos como o Cruze e a S10 recuperaram o público perdido pelos seus antecessores, o hatch compacto deve dar o gás que falta para a montadora encostar nas vendas de VW e Fiat. A razão é que ele conviverá com o Celta, que será “rebaixado” para o patamar onde hoje estão o Mille, Ka e Gol G4.

Com isso, é bem possível que o Celta mantenha o patamar de vendas – se não aumentá-lo – e o Onix possa atrair os clientes que hoje compram o Gol G5 e o novo Palio, por exemplo.

Para agradá-los, a GM apostou num projeto com ares bastante esportivos. “Ele lembra o Gol”, nos disse uma fonte que viu o hatch recentemente. As ilustrações que iG Carros produziu com exclusividade mostram um veículo com para-lamas saltados, faróis afilados e uma traseira volumosa com direito a um spoiler de série. A grade dividida, característica da Chevrolet, é mais discreta que a do Agile, por exemplo, o que mostra a evolução no design e na construção do modelo, que sim, pode roubar clientes do “irmão”.

Suas dimensões são outro aspecto que evoluirá. Se o Celta sempre se mostrou um veículo contido, o Onix oferecerá mais espaço para passageiros e bagagem. “Mas nada exagerado como o Cobalt”, nos comentou a mesma fonte.

O público-alvo do Onix é mesmo o jovem que atualmente não tem grandes opções baratas na marca. Os motores serão os mesmos 1.0 e 1.4 do Celta, mas com melhorias para consumir menos combustível. Os componentes do Onix são em grande parte os mesmos dos modelos Cobalt, Spin e Sonic já que eles compartilham a mesma base, surgida sobre o Opel Corsa D europeu.

Isso significa um carro com dirigibilidade apurada, boa posição de dirigir, bom nível de equipamentos (dependendo da versão, claro) e um acabamento honesto, mas sem sofisticação.

A receita parece promissora e será complementada pela versão sedã que chega no começo de 2013 para o lugar do Prisma que, ao contrário do Celta, já está com os dias contados. A vida seria mais fácil para a GM se não existissem tantos hatches compactos prestes a chegar ao Brasil. Toyota Etios, Hyundai HB, Peugeot 208, Citroën C3, novo Ford Ka e as versões nacionais dos chineses devem aumentar a disputa por esse cliente, o mais numeroso do mercado. A única coisa certa é que Gol, Uno e Palio terão vida difícil daqui para frente.

GRIPE

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas por gripe, chega a 27 em MS

Bebê do sexo feminino, faleceu no último dia 15 no município de Bataguassu

26/05/2024 16h00

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas chega a 27 em MS

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas chega a 27 em MS Divulgação: Prefeitura de Campo Grande

Continue Lendo...

Dados divulgados pelo Boletim Epidemiológico Influenza da Secretaria de Estado de Saúde (SES) da 19° semana epidemiológica em Mato Grosso do Sul, apontam que mais quatro pessoas faleceram vítimas de gripe (Influenza), entre os dias 12 a 21 de maio de 2024.

De acordo com as informações, um bebê prematuro de 6 meses do sexo feminino, faleceu vítima de Influenza A não subtipado no município de Bataguassu. As outras vítimas eram de Campo Grande, entre elas duas mulheres (H1N1 e H3N2) e um homem (H3N3), de 75, 60 e 92 anos respectivamente. O último caso é do município de Ribas do Rio Pardo, um homem de 92 anos também.

Com isso, o Estado totaliza 27 mortes em 2024. Desse número 6 foram vítimas de H1N1, 17 de H3N2, 4 não subtipados. Ao todo são 2946 casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), 326 confirmados para Influenza tipo A.

No dia 30 de abril, a Sesau decretou situação de emergência por conta do aumento de casos de síndrome respiratória que acarretou superlotação nas Upas e Hospitais da Capital.

Prevenção

A gripe por influenza A pode ser prevenida através da vacinação. Os imunizantes disponibilizados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) são compostos a partir de RDC da Anvisa, que avalia as cepas em circulação dos tipos A e B da influenza nas temporadas de circulação do vírus.

Outras medidas não-farmacológicas colaboram para a não infecção, como lavar as mãos com frequência, utilizar máscaras e priorizar ambientes com circulação do ar.

Já em 1º de maio, a pasta anunciou que a vacina seria ampliada para toda a população - com mais de 6 meses de vida. Desde então, a vacina está sendo oferecida nas unidades de saúde de Campo Grande. A dose protege contra três tipos de vírus influenza: A H1N1 e H3N2; e influenza B linhagem Victoria.

A relação de unidades, endereços e horários para vacinação podem ser consultadas no site da Sesau (confira aqui).

Quem deve se vacinar contra gripe?

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos
  • Pessoas de 60 e mais
  • Gestantes
  • Puérperas
  • Indígenas vivendo fora de terra indígena
  • Indígenas vivendo em terra indígena
  • Trabalhadores de saúde
  • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos)
  • Adolescentes em medidas socioeducativas (menores de 18 anos)
  • População privada de liberdade (18 anos e mais)
  • Funcionário do sistema de privação de liberdade
  • Comorbidades
  • Professores
  • Pessoas em situação de rua
  • Forças de segurança e salvamento
  • Caminhoneiros
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso
  • Trabalhadores portuários


As vacinas contra a influenza são trivalentes, produzidas pelo Instituto Butantan e distribuídas para toda a rede pública de saúde. A composição varia anualmente conforme as cepas do vírus predominantes.

Neste ano, as vacinas possuem três tipos de cepas de vírus combinadas: A (H1N1); A (H3N2) e B (linhagem B/Victoria), conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

EDUCAÇÃO

ENEM: Estudantes podem se inscrever a partir de amanhã (27)

Prazo para inscrição vai de 27 de maio a 12 de junho

26/05/2024 14h30

Inscrições começam nesta segunda-feira (27)

Inscrições começam nesta segunda-feira (27) Marcelo Victor

Continue Lendo...

Estudantes do Brasil todo devem estar atentos ao período de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 que começa amanhã (27) e segue até 7 de junho.

A inscrição é feita através da Página do Participante do Enem, com CPF do estudante e senha do portal do governo federal Gov.br. A taxa de inscrição deve ser paga do dia 27 de maio até dia 12 de junho.

O valor da taxa continua em R$ 85, pagável por boleto (gerado na Página do Participante), Pix, cartão de crédito, débito em conta corrente ou poupança (a depender do banco).

O resultado das solicitações de isenção da taxa foi divulgado pelo Inep em 13 de maio. A aprovação da isenção não significa que a inscrição foi realizada automaticamente. É necessário que o interessado se inscreva para participar do exame.

No momento da inscrição, o participante deverá escolher o idioma da prova de língua estrangeira (inglês ou espanhol). 

Treineiro

Podem participar do Enem na condição de treineiro os estudantes que vão concluir o ensino médio após o ano letivo de 2024 ou os interessados em fazer o exame que não estejam cursando e não concluíram o ensino médio.

O candidato, no entanto, deve estar ciente de que sua participação servirá somente para autoavaliação de conhecimentos.

Os resultados individuais do treineiro não poderão ser usados para acesso ao ensino superior e serão divulgados 60 dias após a divulgação geral dos demais candidatos.

Informações

Para mais informações sobre o exame e o processo de inscrição, acesse o edital do Enem 2024 ou o site oficial do Inep.

Confira abaixo as matérias que cada domingo terá e os horários:

1º domingo: 3 de novembro

  • 45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);
  • 45 questões de ciências humanas;
  • redação.

2º domingo: 10 de novembro

  • 45 questões de matemática;
  • 45 questões de ciências da natureza.


Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Término das provas no 1º dia: 19h
  • Término das provas no 2º dia: 18h30

Enem 2024

Criado em 1998, o Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica, ou seja, no fim do ensino médio.

O exame se tornou a principal porta de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (Prouni), que concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

As instituições privadas de ensino superior também usam as notas do Enem para selecionar estudantes. Os resultados ainda servem de parâmetro para acesso a auxílios governamentais, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser aproveitados nos processos seletivos de instituições portuguesas que têm convênio com o Inep. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).