Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

Saiba quais são as sequelas mais comuns pós infecção por Covid-19 e seu tratamento

Perda parcial do olfato ou paladar, falta de ar e cansaço estão entre as queixas após cura da doença
12/01/2021 12:04 - Naiara Camargo


Alguns pacientes relatam terem ficado com sequelas mesmo após serem curados do vírus da Covid-19.

Dificuldade para respirar ou se movimentar, cansaço, ausência parcial do paladar ou olfato e perda da sensibilidade nas extremidades do corpo são as sequelas mais comuns.

Últimas Notícias

Alguns doentes ficam desorientados psicologicamente e, em casos mais graves, até podem apresentar confusão mental. 

“É lento o processo de recuperação, às vezes leva meses e depende de cada caso”, afirma Kleber Claudio, fisioterapeuta.

De acordo com a infectologista Mariana Croda, as sequelas após cura da infecção pelo novo coronavírus são chamadas de síndrome pós-Covid-19.

Doentes que passaram pela fase aguda da doença podem apresentar sequelas duradouras mais significativas. 

É o caso de Chrystian Tavares, instalador de ar condicionado, que sofreu com os sintomas do vírus enquanto estava infectado. “Tive febre no começo, e, nos últimos três dias, muita falta de ar”, relata. 

O rapaz, que não tem nenhuma comorbidade, ficou internado por 36 dias, sendo 16 deles entubado e até hoje sofre com as complicações da doença.

“Desenvolvi má circulação sanguínea no pé e mão, que incham até hoje e doem. Tenho escaras nas costas, uma ferida que até hoje não sarou”, explica Chrystian, que todas essas sequelas são resultado de muito tempo parado e deitado. 

De acordo com a pesquisa coordenada pelo professor biólogo James Venturini, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), nem os assintomáticos estão livres de sequelas. Muitos costumam relatar sensação de cansaço, mesmo sem terem feito esforço significativo.

Jun Willian Higa, personal trainner, foi infectado pelo vírus em julho de 2020 e relata que ficou com falta de ar por 10 dias mesmo após ser curado.

“Treinava muito mal por conta do fôlego que estava ruim e estou até hoje com uma perda significativa no olfato”.

Já Gabriel Magalhães Chiquito, estudante, relatou sentir cansaço por um certo tempo mesmo após a infecção ter passado. “Durante as semanas dos sintomas estava bem difícil, eu ficava cansado muito rápido”, disse. 

“Mas depois que passaram as duas primeiras semanas melhorou, só que eu levei quase um mês para me sentir normal de novo”, acrescentou.

Matheus Almeida, estudante de engenharia elétrica, só soube que estava com o novo coronavírus após realizar teste, ao ter contato com um parente que foi internado com a doença. “Canseira e dificuldade para respirar eu tive sim”, afirmou.

Felipe de Goés Silva, militar, foi diagnosticado com Covid-19 e sentiu dores de garganta, cabeça e no corpo. Além desses sintomas, também teve tontura, dificuldade para respirar e perda do olfato e paladar durante a primeira semana de sintomas. 

Até hoje, o militar relata sentir alguns sintomas da doença. “Paladar e olfato creio que ambos voltaram 20-25%”, afirma. 

Maria Fernanda Valerão Lopes também ficou com sequelas da doença. Ela diz ter cansaço no peito até hoje. “Meu paladar não voltou todo e nem o olfato”, acrescenta. 

Tratamento 

Pessoas infectadas pelo vírus da Covid-19 que já foram curadas, mas que ainda apresentam sintomas da doença, podem procurar atendimento médico, psicológico ou fisioterápico.

A Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), com apoio da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), proporciona a assistência. 

O objetivo é garantir o acesso à saúde para pessoas que não têm condições de frequentarem clínicas particulares. Apenas cidadãos com baixa renda (de até dois salários mínimos) têm direito ao benefício. 

O local está seguindo todas as normas de biossegurança contra à Covid-19, como o uso de máscara facial de proteção e respeito ao distanciamento social de 1,5m de uma pessoa à outra.

Como conseguir o tratamento

De acordo com Paulo Henrique Muleta Andrade, fisioterapeuta, para acessar os serviços da APAE, o usuário deve vir encaminhado via Sistema de Regulação de Vagas - SISREG. 

Para ter sua vaga solicitada no SISREG, o indivíduo pode procurar uma unidade básica de saúde (UBS ou UBSF) e relatar os sintomas que apresenta, solicitando a vaga em Reabilitação. 

São disponibilizadas 70 novas vagas toda semana e, geralmente, a demanda é atendida. O tratamento varia entre 21 dias a 4 meses, a depender da seriedade das sequelas.

A APAE encontra-se na rua Carlinda Tognini, 251, Vila Progresso, em Campo Grande. O horário de funcionamento é das 7h30min às 17h.

Os pacientes atendidos relatam melhora no quadro funcional após finalização do tratamento. Porém, a fibrose pulmonar, assim como todas as outras cicatrizes no corpo humano, são eternas.

Chrystian, que sofre até hoje com complicações da doença, faz tratamento em uma clínica particular com ozônio (ozônioterapia) para facilitar a circulação sanguínea do pé. “Já para as escaras, faço curativos com óleo. Também uso medicações para dores”, acrescenta.

Sintomas do novo coronavírus

É possível que o cidadão esteja infectado pelo vírus da Covid-19, caso apresente os seguintes sintomas:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Perda do olfato
  • Perda do paladar
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Dor ou pressão do peito

Recomendações

A SES afirma que o isolamento social; o uso de máscara e álcool gel e a higienização das mãos com água e sabão são medidas imprescindíveis para conter a propagação do novo coronavírus.

Pessoas que apresentarem febre, tosse seca ou dor de garganta devem permanecer em isolamento por 14 dias e procurar uma unidade básica de saúde mais próxima.

“Use máscara e mantenha a higienização das mãos”, é o que Geraldo Resende, secretário de Estado de saúde, clama todos os dias aos sul-mato-grossenses.

“Você só pode estar em locais que você tem a garantia de estar a 1,5 de uma pessoa, com máscara e com higienização das mãos. Nós não falamos mais de outra coisa”, exclama Christine Maymone, secretária adjunta da Saúde.

Assine o Correio do Estado