Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Assistência Social já agendou 11,3 mil atendimentos durante a pandemia

Segundo titular da pasta, número de atendimentos aumentou devido o auxílio emergencial
06/05/2020 13:20 - Bruna Aquino


 

Em meio a pandemia do novo coronavírus, a Assistência Social de Campo Grande já realizou 11.393 atendimentos às famílias de maior vulnerabilidade no município. As orientações a distância ou até mesmo presencial de forma segura teve maior volume quando surgiu o Auxílio Emergencial, benefício de R$ 600 para ajudar famílias em meio a crise, que gerou bastante aglomerações  nos últimos dias. As informações são do secretário da pasta, José Mário Antunes da Silva durante live sobre o enfrentamento da pandemia realizado nesta quarta-feira (6) na Câmara Municipal. 

Mesmo com um aumento expressivo no número de orientações, José Mário explicou que os atendimentos presenciais estão suspensos, exceto para atendimentos emergenciais como bolsa família e o próprio auxílio emergencial. “Não podemos deixar de dar atendimento a nossa população, as pessoas ficam desesperadas porque não estão conseguindo acessar o auxílio, mesmo não sendo cadastrados, nós atendemos todas as pessoas, dando informações sobre o  Cadastro Único”, explicou. 

Ele complementou que quem ainda estiver com dúvidas sobre o auxílio pode solicitar ajuda na Fundação Social do Trabalho e SINE Municipal de Campo Grande (Funsat) e nas incubadoras. 

Ao todo são 21 unidades em atendimento de responsabilidade da SAS. Segundo dados apresentados na Câmara, ao todo foram realizados nestes meses de pandemia 2.715 encaminhamentos e 614 atendimentos individuais. 

Para o secretário, é preciso fortalecer o vínculo. “Temos que torcer para que essa pandemia passe logo, porque nós precisamos fortalecer mais o vínculo presencial com a nossa comunidade e seus familiares”, destacou.  

CESTAS BÁSICAS
Outro assunto que foi bastante comentado na live foi sobre alimentação das famílias em situação de vulnerabilidade com a entrega de cestas básicas. O secretário informou que já foram entregues 4.445 cestas durante a pandemia. “Nós iremos atender enquanto continuar a pandemia, mas é necessário que a pessoa entre em contato com o CRAS próximo da sua região. Esse momento de dificuldade as pessoas precisam ser atendidas e respeitadas”, explicou José Mário. 

O secretário ainda explicou que  Fundações de bancos da Capital estão realizando doações de cestas para entidades e uma delas que é atendida pela SAS já chegou a ajudar 5 mil famílias na região do bairro Lageado.

 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.