Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Saúde confirma mais duas e MS soma 27 mortes por Covid-19

Idosa de 61 anos faleceu em Sidrolândia no domingo e policial civil de 52 anos morreu ontem
12/06/2020 07:35 - Adriel Mattos


Mato Grosso do Sul registrou na noite de quinta-feira (11) mais duas mortes por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Com isso, o número total de óbitos sobe para 27.

Em Sidrolândia, uma idosa de 61 anos se tornou a primeira vítima da doença. Segundo a prefeitura, trata-se do primeiro caso de transmissão comunitária, já que a paciente não tinha histórico de viagens e não teve contato com pessoas que contraíram a doença.  

A idosa era moradora do distrito de Quebra Coco e procurou atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no domingo, 7 de junho. O quadro da paciente piorou e ela foi transferida para o Hospital Dona Elmiria Silvério Barbosa, mas morreu no mesmo dia.  

Apenas ontem o resultado do exame feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-MS) foi finalizado, resultando positivo. A vítima foi enterrada na segunda-feira (8), sem velório por recomendação de autoridades de saúde.

Outro caso foi do policial civil Waldir Rojas, de 52 anos. Lotado na 2ª Delegacia de Polícia de Ponta Porã, ele teria sido contaminado após entrar em contato com uma mulher que supostamente já estava com a doença e quebrou a quarentena. Rojas estava internado desde maio e faleceu na noite de ontem.

Em nota, o Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol-MS) lamentou a morte do agente. Destacou ainda que Rojas havia solicitado aposentadoria, que foi concedida durante a internação.

 

Felpuda


Candidato a prefeito em cidade do interior tremeu que só nas bases diante da decisão que tirou a corda do pescoço de adversário, liberando o dito-cujo para disputar a eleição.

Como acreditava que o pleito seria “um passeio”, estava até pensando no modelito que usaria no dia da posse.

Agora, teme nadar, nadar e morrer na beira da praia, deixando o terno pendurado no cabide.