Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

QUASE SEIS MESES DEPOIS

Secretaria de Estado de Saúde autoriza retomada de cirurgias eletivas

Procedimentos haviam sido suspensos em março, logo após o registro dos primeiros casos do novo coronavírus
03/09/2020 07:00 - Adriel Mattos


A Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Mato Grosso do Sul autorizou a retomada de cirurgias eletivas, suspensas desde março devido à pandemia de Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus).

Resolução que regulamenta os procedimentos ainda durante a pandemia foi publicada em edição extra do Diário Oficial Eletrônico na quarta-feira (2).

A realização das cirurgias deverá levar em conta uma série de fatores, como a necessidade de cada paciente, considerando seu estado de saúde.

Assim, os procedimentos podem ser feitos o mais rápido possível ou a pessoa deve aguardar por mais de três meses.

As direções dos hospitais devem garantir segurança para profissionais e pacientes a fim de evitar o contágio pelo vírus, disponibilizando equipamentos de proteção individual (EPIs) e testes para Covid-19.

A unidade também deve capacidade de leitos aceitável para retomar as cirurgias eletivas.

 
 

HISTÓRICO

Em 19 de março, o Governo do Estado anunciou que estava suspendendo as cirurgias eletivas. Na ocasião, Mato Grosso do Sul tinha apenas sete casos confirmados.

A suspensão passou a valer a partir de 23 de março, conforme resolução publicada no DOE três dias antes.

As cirurgias cardíacas, oncológicas e aquelas que, “mesmo se tratando de eletivas, possam causar danos permanentes ao paciente caso não sejam realizadas” continuaram.

Com a paralisação, o Estado determinou que toda essa estrutura deverá ser direcionada “para o enfrentamento da emergência de saúde pública em razão da pandemia”.

Até ontem, Mato Grosso do Sul tinha 50.645 casos confirmados e 903 mortes por Covid-19.

 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.