Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Saúde teme aumento de casos nos próximos dias como reflexo do feriadão

Isolamento ficou baixo e houve várias aglomerações, que podem refletir no boletim daqui cerca de 14 dias
10/09/2020 14:28 - Glaucea Vaccari


Mesmo com a desaceleração dos novos casos de covid-19 em Mato Grosso do Sul, preocupação da Saúde é com aumento das confirmações nos próximos dias, como reflexo do feriadão da Independência.

Secretária adjunta de Saúde, Christine Maymone, disse que o comportamento da população durante o fim de semana e feriado pode ter aumentado o contágio.

Boletim epidemiológico aponta que, nas últimas 24 horas, foram confirmados 701 novos casos e 17 mortes por covid-19 no Estado.

Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que houve uma desaceleração no número de confirmações e queda nas internações, com 490 pessoas internadas.  

“Não é motivo ainda de comemoração, estamos observando a doença, principalmente após o feriado prolongado em que não tivemos distanciamento social e tivemos aglomeração”, salientou Christine.

Das 17 novas mortes, 12 ocorreram em Campo Grande e uma em Fátima do Sul, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Paranaíba e Rio Brilhante.  

Média móvel de casos dos últimos setes dias é de 638,7 casos confirmados por dia e 16 mortes.  

Taxa de contágio, que até ontem estava em 1,12%, caiu para 1,08%.

“Nosso principal objetivo é a diminuição da taxa de contágio. Se diminuir a taxa de contágio, teremos declínio maias acelerado da doença no estado”, reforçou Resende.  

 
 

O total de infectados desde março totaliza 56.046 no Estado.

Dos casos confirmados, 5.252 estão em isolamento domiciliar, 49.280 estão sem sintomas e já estão recuperados e 490 estão internados. 

Mato Grosso do Sul soma 1.024 mortes pela doença.

A taxa de letalidade também teve queda, passando de 1,8% para 1,7%.

 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!